Naruto Revo OnlineConectar-se
Hey... quanto tempo faz que seu personagem não come? Evite as penalidades por desnutrição... visite o Ichiraku com frequência, lá seu personagem pode se recuperar em instantes !
Sempre lembre de remover itens descartáveis de suas fichas quando os mesmos forem usados. Seja honesto consigo mesmo.

Campo de Treino de Inuzuka Never

Compartilhe

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Início.
Never e Hatsumi chegam a um campo aberto dentro de uma fazenda em um dia bem quente.
Os dois estavam sonolentos por terem dormido tarde, Hatsumi pergunta tombando de lado devido a preguiça.
-Que que agente vai fazer hoje Never? Eu vou precisar me mexer muito?
Se espreguiçando Never responde lentamente.
-Lembra de outro dia quando agente topou com aquele fazendeiro Ichiraku? que precisava de um fosso para poder tirar água e regar as plantas mas tava com a grana curta?
Hatsumi move os olhos em direção a Never.
-Uhum, que que tem?
Never tira um papel do bolso e começa a analisar o terreno ao seu redor.
-Bom eu me ofereci para dar uma mão assim você vai treinar o Tsuuga e eu o Dochuu Eigyo no Jutsu... essa é um pequeno mapa da fazenda eu vou ficar no subterrâneo procurando a área que o lençol freático ficar mais perto da superfície... pelo que o povo que fez a pesquisa viu nessa área que fica perto de uma nascente o lençol ta bem perto da superfície então dá para nós escavarmos isso.
Hatsumi pergunta.
-Mas porque decidiram que seria uma boa você fazer isso?
Distraído com a planta Never responde.
-Porque eu tenho uma tradição de fazer trabalho voluntário pela vila em troca de treino e porque eu teria que usar a violência no fazendeiro bêbado e individado no Ichiraku se eu não oferecesse ajuda... RESUMINDO! O cara ta sem grana pra fazer o poço mas sem o poço a colheita vai ir mal e ele vai perder a fazenda.
Na pequena planta haviam pequenos “X” indicando os prováveis melhores lugares.

O treino:
Hatsumi ia fazer alguma pergunta cortante mas Never se antecipa usando o Dochuu Eigyo no Jutsu e desaparecendo no solo antes que ela pudesse falar.

Ele afunda a aproximadamente uns 5 metros e sente o solo ficar humido então ele vai indo na direção do primeiro “X” e ao chegar volta a superfície tirando um lápis e a planta do bolso fazendo anotações sobre a profundidade.
Isso continuou por mais um tempo até que ele verificasse todos os “X”.

-Hatsumi, Hatsuuuuuuuu... é sua vez parceira!
Hatsumi acorda e vê a cabeça de Never apenas fora da terra encarando-o com um olhar reprovador.
Ele indica o lugar mais apropriado e faz o selo para que Hatsumi pudesse usar o Juujin Bunshin.
-Apenhas faça um buraco reto aqui o lençol ta BEM perto da superfície aqui então deve ser mais mole que sentar no pudim... enquanto isso vou terminar meu treino gastando o resto da minha cota diária de chakra nesse Jutsu.

Hatsumi com facilidade sobe um um galho de arvore que ficava em cima do ponto e pula de forma que ela pudasse cair usando o Tsuuga em linha reta como um morteiro, ao cair um pequeno estrondo devido a força do impacto e um pouco de dificuldade para passar pela camada superficial de terra com várias raízes de plantas atrapalhando depois começa a ficar mais fácil com um solo arenoso e então mais difícil novamente com o solo humido.
Diferente do que Never disse era mais difícil do que parecia pois ela tinha que manter o Tsuuga por um tempo que nunca havia sequer pensado em tentar.
Nesse momento Never estava exausto devido ao consumo de chakra sentado do lado de uma arvore e vendo poeira e algumas pedras voarem do buraco.
Logo em seguida a barulheira para e Never vai verificar Hatsumi no buraco escuro e percebe que ela estava no fundo sem quase desmaiando sem Chakra.

Conclusão:
Após um pouco de dificuldade para tirar Hatsumi, Never monta uma espécie de lona no buraco para que não entrasse nada que pudesse contaminar a água e informa o fazendeiro que estava com uma ressaca horrenda.
-Pode deixar que o resto do poço meu filho vai montar... desculpe pelo drama do ramen ontem eu meio que forcei você a isso.
Never responde dando risada falando algo bem sério, de forma que bizarramente o fazendeiro acaba não se ofendendo por alguma razão.
-Tudo bem, mas se você beber e começar a fazer besteira de novo eu vou ter que te deixar inconciente! Se seu filho não for muito velho um pai bêbado para fugir dos problemas é um péssimo exemplo.
Então Never e Hatsumi voltam para casa depois de verem que o filho do fazendeiro era um armário de uns 25 anos pela aparência.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Início
Never e Hatsumi chegam a um campo de treino aberto com um céu bem azul e com uma grama bem verde.
Hatsumi percebia que Never estava muito calado e concentrado.
“Será que tem a ver com o sonho ruim que ele teve”
O garoto se senta debaixo de uma arvore solitária e diz.
-Hoje eu não estou disposto suficiente para treinar então eu quero que você aprenda o Kinobiri, eu vou ficar aqui sentado meditando e te dar alguns toques enquanto você tenta ok?

Hatsumi concorda balançando a cabeça e Never começa a explicar.
-Bom, no Kinobiri você deve liberar chakra pelas patas ou pés, dependendo da forma em que você estiver e prende-lo na superfície na quantidade certa e com um fluxo constante e preciso para não se prender demais nem se soltar, entendeu?

O Treino
A cadela afirma que sim com um simples latido e começa a tentar subir na arvore onde Never estava sentado encostado na arvore de forma que ela caísse no colo de Never.

Mais um pulo e dessa vez ela se prende demais tirando uma parte da casca da arvore quando puxa a pata, caindo mais uma vez no colo de Never que estava com os olhos fechados parecia estar de mau humor com a cara fechada Never fala para a cadela no colo.
-Tente ir mais devagar e sentir se está colocando muito ou pouco chakra e tente memorizar a medida certa.

Hatsumi volta a tentar escalar se lembrando daquela manhã Never havia acordado elétrico, estressado e um pouco assustado com algum sonho que havia tido.
Pelo que havia dito ele sonhou com 3 invasões em Konoha uma por bandidos em que ele e Natsu lutaram com uma legião deles e quase morreram, outra com uma invasão da vila da névoa onde ele estava seriamente machucado e tentando impedir que um jounnin da névoa matasse várias crianças da academia.
Na ultima em que ele estava com um colete de chuunin, Hayate estava para matá-lo em uma espécie de caverna profunda onde Never acaba tendo que se sacrificar explodindo uma dúzia de Kibaku Fuudas nas paredes soterrando os dois.

Hatsumi podia entender a pressão em que o garoto se encontrava, eram tempos difíceis para Konoha e em breve estaria no exame Chuunin para talvez nem voltar vivo... Além disso os treinos do Kage Ichiba sempre mostrava o como ele estava fraco comparado a seus colegas.
“Ficar ali emburrado não vai ajudar a resolver o que te incomoda...”

Já haviam se passado várias tentativas e Hatsumi já estava de ponta cabeça em um galho encarando Never ali imóvel de cara cada vez mais fechada ele parecia estar suando.
“Será que ele está com calor? Mas ta até friozinho e com um vento úmido aqui...”
Então tudo fica escudo por um segundo e a o galho em que Hatsumi estava vira um teto de caverna, desconcentrando-a e fazendo com que ela se solte.
Never pula para frente pegando a cachorra no ar e caindo no chão completamente desorientado e exausto.

Conclusão:
Hatsumi olha ao redor e eles estavam na verdade no campo de treino.
-Eu tava treinando o Kohiki no Jutsu desde quando saímos de casa... aaaaaaaaah eu to cansado pra caramba... deixa eu tirar um cochilo antes de voltarmos por favor...

Então Never capota, por mais algum tempo Hatsumi anda nas paredes próxima do chão depois de uma hora ela e Never voltam para casa.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
(Eu fiz esse treino especialmente para ganhar pontos de passiva com a Kunai Gigante e de Biologia)
Início
Never e Hatsumi aceitaram tomar conta de algumas crianças do próprio clã em uma tarde ensolarada... seus pais estavam voltando de uma viagem e não havia ninguém para tomar conta por isso os veteranos do clã pediram para ele tomar conta dos dois, eles não conseguiam parar quietos em casa sem fazer nada então o garoto leva os pequenos para um almoço ao ar livre perto da casa deles e da vila onde pessoas passavam com freqüência.
-Moço agente já chegou? Eu to ficando cansado...
Uma das crianças era bem novinha enquanto outra devia ter uns 6 anos.
-Já? Bom agente ta quase lá.
Never põe a criança de aproximadamente 4 anos no lombo de Hatsumi deixando-a muito entretida, sorte que Hatsumi era uma cadela de grande porte e que devido aos treinos tinha um ótimo condicionamento físico.
-Sério que vocês não costumam sair muito de casa? Mas vocês são Inuzukas o ideal seria vocês quase não passarem tempo em casa...
“As vezes eu acho que tive sorte de ter sido criado pela Fuume... esses Inuzukas domésticos são criados como cães de estimação...”

Never leva as crianças para um rio extremamente raso em que a correnteza era quase inexistente afinal por serem crianças pequenas ele era muito protetor... a forma como reagia socialmente se assemelhava muito as relações sociais de matilha.
-Escuta aqui seus filhotes, agente vai comer Nigiri com suco de Pêra ok? Vocês colocaram 6 na mochila como eu disse?

Havia apenas 2 na mochila e o grande sabia contar.
-Hum... não vai dar pra fazer muito suco com isso, presta mais atenção ok?
De alguma forma Never era firme e mole com as crianças ao mesmo tempo.
-Aqui ó... uma... duas... agente vai ter que pegar mais ok?

O treino.
Havia uma macieira perto de onde eles estavam e Never pede para Hatsumi.
-Nogi vamos praticar conta? vai com a Hatsumi lá, ela vai derrubar umas maçãs e você tem que pegar quatro, ta vendo nos dedos? Quatro, você consegue!
Ele vai com a Hatsumi enquanto Never toma conta do pequeno e do filhote do mais velho.
-Vamos fazer o Nigiri? Primeiro agente tem que lavar as mãos senão vai ficar tudo sujo e vai deixar agente doente ok?
Never pega uma pedra áspera e ajuda o pequeno a lavar a mão, em seguida abre um pacote de arroz e mostra como fazer as bolinhas de arroz.
-Isso, e não coloca a mão na boca ou no nariz senão vai ficar suja de novo.
Never estava atento com o garotinho bem do lado quando pega um peixe grande que havia comprado e com a Kunai Gigante ele iria tentar preparar alguns pedaços de Sushi para por no Nigiri.

Era difícil devido ao tamanho da arma, mas ele tinha tempo e cortou beeeeem devagar os filés de peixe, o pequeno parecia estar se divertindo muito e deixa o pequeno e o filhote comer um pouco do arroz.
-Só uma bolinha porque senão vai sobrar peixe.
O irmão mais velho chega com cinco maçãs e Never vai explicando com calma enquanto cortava os filés.
-Ó... vamos cortar? Digo contar? Ó... uma maça... duas maças... três maças... quatro maças... cinco maças... eu pedi só quatro...

O pequeno ao entender se prepara para tacar a maçã no rio, Never fala muito firme sem gritar de forma que a criança para instantaneamente.
-NÃO! Não se taca comida fora! O que ensinam essas crianças? Nunca taque comida fora tem gente no mundo que morre de fome... se você não vai comer agora guarda pra depois... vai lá com a tia Hatsu e lava essas maçãs ok?

Após terminar de cortar o peixe Never coloca em cima dos bolinhos de arroz e prende com uma fita de alga, ficando bem parecida com a que come no ichiraku.
Ele cobre aquele monte de Nigiris com um pano e chama as crianças para preparar suco (que 80% seria consumido por ele e Hatsumi)

Ele tira um jarro com uma peneira que se encaixava da mochila e com algumas Shurikens derruba mais umas 6 maçãs da arvore e as lava.
“Pensando bem pêra e maçã não tem muito suco...”

Ele dá 6 frutas para cada uma se afasta vários metros e grita rindo.
-Pode tacar!
As crianças não entendem.
-É sério taca pra mim! Eu vou fazer uma coisa legal!
As crianças sabiam o que era um ninja e vendo Never com a Kunai Gigante na mão se empolgam tacando uma de cada vez.
-Elas não conseguiam tacar com muita força e atiravam direto para Never tornando as frutas alvos fáceis ele teria que praticar apenas seu timing e controle de força para fazer o que queria, enquanto isso Hatsumi observa entretida do lado do filhote.
-Um... dois... três... HOME RUN!!!
Never exagera um pouco na força e a Kunai Giganta faz até barulho devido ao atrito com o ar (não é necessária tanta força para isso já que é uma arma um pouco grande.)
Ele acerta uma pêra em cheio e ela volta em dois pedaços para as crianças caindo no pano de piquenique limpo que haviam estendido pouco a frente de Never.

Elas continuam e tirando por uma pêra que Never erra o garoto consegue acertar todas cortando a maioria ao meio e prendendo umas 3 na lâmina.

Então ele pega uma pedra redonda limpa e espreme as frutas na peneira fazendo uma jarra quase cheia, de quebra as crianças tinham purê de maçã e pêra de sobremesa Never pensa consigo mesmo.
“Nossa até que eu consigo tomar conta de crianças bem...se bem que elas são bem comportadas se fossem mais complicadas eu estaria tendo bem mais dificuldade.”

Depois de comerem as crianças caem no sono Never sem saber bem o que fazer enquanto isso realiza o Juujin Bunshin e sugere a Hatsumi treinar seu controle de chakra.
A cachorra se afasta um pouco e sem conhecer muitos Jutsus não tem escolha senão acelerar sua circulação de chakra Never olha e comenta.
-Até que é uma boa, só toma cuidado seus vasos transportadores de chakra podem romper como vasos sanguíneos e isso com certeza não seria legal...

Entediado Never olha para o que sobrou do peixe... e uma enorme curiosidade surge... ele olha para as crianças, parecia que não iriam acordar em qualquer momento breve.
Ele coloca a tabua de carne e um dos peixes, o maior, e começa a abri-lo, a primeira coisa que vê é o sistema digestivo.
“Que sorte que eu não sei limpar peixes por dentro... quem sabe eu aprendo agora...”
Aquilo o fascinava, ele começa a lembrar das aulas de biologia na academia sobre a evolução das espécies.
“Por dentro tem tantas semelhanças... nós viemos dos macacos... os macacos vieram dos peixes?”
O cheiro era desagradável por sorte o vento não estava em direção das crianças de forma que elas não acordavam pelo odor.
“Será que ainda tem comida dentro? Acho que esse é o estômago...”
O garoto procura algum tubo da boca e o segue até o estômago para ter certeza, então com a pontinha da Kunai gigante ele fura o estômago e observa o líquido com alimento semi-digerido repulsivo e depois de sentir o aroma decide mudar de foco.
-Cadê o coração?
Enquanto isso Hatsumi tentava acelerar a circulação de chakra de olhos fechados até se cansar devido ao consumo de chakra e se deita junto com as crianças enquanto Never abre e estuda os peixes completamente desligado do que acontecia ao seu redor.

Conclusão.
Quando o sol estava para se por quando não sobrou nada dos peixes de tanto cortar e abrir Never percebe que horas eram e acorda o povo.
-Vamo daqui a pouco começa a ficar frio...

Ele leva as crianças de volta para casa quando os pais haviam terminado de chegar.
-Desculpe, tivemos alguns problemas na viagem por causa de uma ponte que quebrou em uma tempestade, eles deram muito trabalho?
Calmamente Never bagunça o cabelo dos dois.
-Somente o que crianças da idade deles fariam normalmente... sem problemas... me diga uma coisa... eles vão para a academia?
Os pais se entreolham e respondem sem entender a razão da pergunta.
-O Nogi quer entrar no ano que vem e o irmão dele já fala sem parar sobre ninjas porque?
Never faz uma reverencia tradicional de desculpas e fala francamente.
-Eu sei que não é da minha conta a criação deles então eu peço desculpas formais, mas eu acho que devo falar... eles são Inuzukas não Cães domesticados nunca atingirão todo o seu potencial na carreira ninja, no físico, mental e espiritual ficando presos em casa por favor dê mais contato com a natureza a eles...

Os dois se entreolham e respondem constrangidos, mas de certa forma gratos com a preocupação.
-Hum... sim é verdade precisamos caminhar mais com eles no parque certo amor?

Eles dão alguns trocados para Never em troca do serviço de babá e entram em casa. (não ganhei ryus só faz apenas parte da história)
-Parque? Não da para conhecer a natureza em um parque asfaltado e sem animais... que decadência ninguém mais age como Inuzuka tirando os veteranos?... estou ficando preocupado com o futuro do clã Hatsu... vamos pra casa...

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
(Eu tentei aprender um pouco de botânica, kunai gigante nesse treino e a Hatsumi vai começar a aprender linguagem humana então não custa lembrar dessas passivas pro corretor)

Chegada:
Never e Hatsumi se aproximam de um lago de Konoha onde Never se preparava para um experimento.

Never havia lido sobre uma alga usada na culinária para preparar sushis que crescia em lagos e rios do país do fogo, o gennin adorava aquela alga por dar um sabor azedinho a comida, mas aparentemente precisava de uma preparação para retirar o “suco” tóxico da alga e depois secá-la ao sol.
-Bom Hatsu... esse lago fica bem perto do rio e agente ta na época do ano certa então deve ter uma quantidade suficiente no fundo... eu preciso que você vá lá pegar uma boa quantidade quando estiver bom eu te falo, enquanto isso eu vou chamar o Bonzo e pescar o nosso almoço ok? Ah e use o Juujin Bunshin, a alga é tóxica só se ingerida então não vamos ser estúpidos e pegar ela com a boca certo?

Após o garoto realizar os selos para o Juujin Bunshin (a hatsumi não ia pegar algas tóxicas com a boca) o Kuchyose, ele cumprimenta a baleia com um bom dia e da um tempo para que Bonzo acordasse direito enquanto arma uma fogueira com pedras e galhos secos que pegou no caminho e libera um espaço para deixar as algas secarem ao sol.

O treino:
Hatsumi mergulha e procura as algas como nas imagens que Never mostrou, as folhas cresciam bem afastadas umas das outras, então ela acabava sendo forçada a mergulhar, nadar e prender a respiração em outras palavras era um exercício físico bem rigoroso.

Never sobe em cima de bonzo com cuidado para não machucá-lo.
-Assim com as pernas cruzadas?
Bonzo responde calmamente enquanto se dirige a parte mais funda do lago.
-Sim, só não tampe a minha “narina” e cuidado com essa Kunai.

A pescaria exigia bastante reflexo e paciência enquanto Bonzo estava falante e conversando o que tornava o trabalho de se concentrar mais difícil ainda.
Never enxerga um movimento na superfície da água e com um movimento rápido da Kunai gigante tira um peixe pequeno da água.
-Que desperdício... pena que eu não consigo enxergar o tamanho deles quero dizer... pra que matar um desses se nem vai matar MINHA fome... toma acho que você vai aproveitar mais que eu como tira gosto...

Never taca o pequeno peixe na frente da boca de Bonzo e ele rapidamente devora a carne fresca derrubando um pouco de sangue na água causando uma certa movimentação na água.
-Peixes carnívoros?
Bonzo responde de forma simples enquanto mastiga.
-Exato...
Never curioso tem uma idéia.
-Você consegue cuspir um pouco mais do sangue do peixe na sua boca?
Bonzo para de mastigar e espremendo a carne na boca libera mais do sangue, de uma forma que geralmente pessoas normais considerariam repulsiva, mas não sendo uma pessoa normal Never não dá a mínima e volta suas atenções a superfície do lago.
“Peixes carnívoros devem ser maiores do que os outros do lago, mas por outro lado não deve ter muitos peixes grandes nesse lago pequeno, pois não haveria comida para todos... a não ser que esse lago estivesse conectado a outro corpo de água... uuuhm isso seria meio difícil...”

Em um curto período de tempo Never e bonzo estavam cercados de peixes grandes a procura do sangue que sentiram na água.
Com o máximo de reflexos que podia Never tenta tirar um da água perfurando-os com a Kunai gigante sabendo que a movimentação que a Kunai faria na água afastaria os peixes em pouco tempo.
Uma tentativa seguida da segunda e da terceira, quando quase todos os peixes haviam fugido Bonzo acerta a água com a cauda, ensopando Never e deixando dois peixes boiando de barriga para cima.
-Eeeeeitaaaa... valeu bonzo...
Deixando o Inuzuka pegar o peixe e levando-o para a margem bonzo responde de forma lenta.
-Não há de quê...

O baleio se afasta do mestre ao levá-lo para a margem.
-Vou passar um tempo aqui antes de voltar para casa algum problema?
Never tenta acender a fogueira criando faíscas com duas pedras ásperas e cobrindo a madeira que coletou na vinda de folhas secas.
-Nada contra, apenas não crie confusão como sempre... pessoas não estão acostumadas a verem baleias tão longe da costa...

Hatsumi volta para a forma canina ensopada e cansada fisicamente, havia coletado uma boa quantidade de algas.
-Pode descançar Hatsu, eu tomo conta do peixe...

Never limpa as escamas e tira uma pequena grade de grelha de acampamento da mochila que fica alguns centímetros acima do fogo.
(Se quiser descontar dinheiro da minha conta pela grelha fique a vontade)

Enquanto isso Never espreme as algas em um vidro de palmito que trouxe de casa e então estica algumas debaixo do sol expremendo o restinho do caldo passando a lateral da Kunai Gigante como um rolo de massa.
O caldo era de um tom amarelo esverdeado e o cheiro azedo embrulhava o estômago.
“Se o olfato diz que não é bom ficar perto... então realmente não deve ser bom por isso dentro do corpo...”

Enquanto o peixe é preparado na fogueira e Hatsumi descansa perto do fogo para secar os pelos Never pratica com a Kunai gigante brincando de tacar pedras no lago com a Kunai gigante como se estivesse jogando golf com a arma.

Never e Hatsumi sentem o cheiro característico de peixe no ponto certo e comem selvagemmente, no final a cadela solta um arroto seguido de.
-...Delícia...
Never pula pra trás de susto e cai no chão.
-VOCÊ FALA?!
Hatsumi chacoalha a cabeça e responde em linguagem canina.
-Não... aliás... sim quando eu to em forma humana nunca consegui fazer isso nessa forma...

Never sabia que isso poderia acontecer uma hora ou outra, pois alguns cães ninja aprendem a falar, mas de longe não esperava que fosse algo tão... espontâneo.
-Não, não! Vamos continuar repete comigo devagar raaaaaaaameeeeen...
Hatsumi se levanta concentra e tenta com muita dificuldade soltando grunhidos incompreencíveis.
-rrrrrrooo... reeeeeeeeeeeeeweeeem.... waaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah...
Never e Hatsumi estavam pilhados e continuam.
-Vamos! Delicia não é nem uma palavra monossílaba você consegue e vai tentar até conseguir!!! Tenta pensar no movimento da boca pra falar e vamos juntos raaaaaaaaaaaaaaameeeeeeeeen...
-waaaaaaaaaaah...whooooof...

Conclusão:
Eles continuam por várias horas com pouco progresso e voltam para casa ao amanhecer.
“Quem sabe a Fuume não possa me contar como ela aprendeu... as veses eu posso tentar algo parecido...”

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
(Só lembrando que eu estou estudando biologia nesse treino)

Início:
Never e Hatsumi chegam a gruta em que costumavam treinar, específicamente em uma câmara escura e muito profunda, onde passava um rio subterrêneo.

Never estava agasalhado e com a capa de viagem cinza, devido ao frio que fazia apesar da água morna que passava ali, o garoto coloca a lanterna que carregava em uma área seca no centro do cômodo (eu já comprei uma lanterna nos meus primeiros treinos pode verificar)
-Pronto, aqui agente vai poder treinar sem se preocupar com a neve lá fora... hoje eu quero que você aprenda um jutsu hatsu... a marcação dinâmica, acho que como você já esta com prática em girar no ar por causa do Tsuuga você não vai ter muita dificuldade... mas tome a água do rio até não conseguir mais o treino começa daqui uma hora.

Hatsumi se enche de água enquanto o garoto tira uma pequena gaiola de pássaro, uma seringa e um jarro com o suco de alga que havia coletado na semana anterior e deixado evaporar parte da água para deixar o liquido amarelado e fedido mais concentrado.
O garoto usa seu olfato para tentar achar algum morcego no ar estagnado da caverda.
“Pêra ai... cavernas com morcegos não são cobertas de esterco? Tenho uma idéia menos pior...”
-Hatsumi fica no canto da sala?
Concentrando chakra nas cordas vocais para amplificar o som o garoto uiva em um volume ensurdecedor e imediatamente se enrola na capa de viagem, em poucos segundos uma enxurrada de morcegos de alguma câmara mais ao fundo passa por ele em direção a superfície quase derrubando-o mas para a surpresa de Hatsumi o garoto havia agarrado um morcego na mão.
“É um idiota mesmo... bom pelo menos eu me divirto”

O treino
O garoto coloca o pequeno ser na gaiola se esforçando para não deixá-lo escapar, e com muito mais esforço consegue força-lo a engolir o líquido malcheiroso e o deixa em paz, Hatsumi parecia inquieta.

-Acho que já está na hora, a marcação dinâmica funciona assim... você salta no ar girando em forma canina e libera a urina enquanto gira, isso vai encharcar de urina tudo em 360º tornando os muito fáceis de rastrear... você não vai ter que tomar tanta água mas no primeiro treino acho que um “jato” com “pressão maior” vai te facilitar.
Pode ir vou treinar controle de chakra enquanto vejo o que acontece com o morcego.

O garoto se senta do lado da caiola e começa a usar o doton no jutsu para fazer uma pequena estatua de aproximadamente 10 centímetros do morcego ao seu lado... isso o obrigava a olhar o tempo todo para o animal enquanto treina.

Hatsumi sentia dificuldade em saltar e a vontade de urinar era gigantesca.
“Só vou soltar quando girar direito! Quero ver algo melhor para me incentivar!”
Enquanto isso o morcego ficava cada vez mais agidado dentro da gaiola, mas não dava para saber se era devido ao stress ou pelo líquido tóxico. (pode ser que não haja efeito em um morcego)

Aproximadamente cinco minutos se passaram com Hatsumi pulando que nem uma cabrita e quando consegue girar no ar solta a urina quase acertando Never.
-ISSO! Agora continue até não ter mais urina, mas SEM ME ACERTAR!!!
O tempo passou sem que percebessem e hatsumi quando simplesmente não consegue mais urinar se deita do lado de Never e cochila.
“Será que morcegos são imunes a toxina? Já deve ter passado várias horas...”
Foi só o garoto falar que o morcego antes agitado começa a se mover cada vez menos fazendo estranhos barulhos de respiração enquanto o garoto terminava a estatua ficando sonolento.

Conclusão.
Em um dado momento os sons de respiração se tornaram cada vez mais altos e o morcego como uma explosão suja a gaiola toda de escremento , revelando um efeito purgante lento mas fortíssimo da toxina.
Never e Hatsumi encaravam a cena forte com um olhar de completo nojo e horror, e Never toma diversas notas mentais memorizando algumas coisas que anotaria mais tarde.
"Se isso no excremento for sangue significa que algum tecido foi destruido... e pela quantidade não foram poucos... mas tenho que levar em conta que eu dei uma dose humana da toxina para um animal do tamanho de um rato, a concentração de toxina foi altíssima provavelmente eu não conseguiria um efeito equivalente em humanos..."

Em poucos minutos o animal morre de uma forma mais dolorosa do que Never esperava.
-Com toda essa sujeira eu não vou nem tocar nessa gaiola... vamos Hatsumi...
Ao sair da caverna a dupla percebe que havia parado de nevar e Never estava silencioso ponderando as informações que havia observado e mais.
"Para aprender mais eu vou ter que experimentar em animais... diferente de humanos não existem animais de coração negro por isso eles nunca irão merecer fazer parte de alguns experimentos... o mínimo que eu posso fazer é tentar encurtar esse sofrimento ao máximo."
-Hatsu não adianta nem tentar chegando em casa você vai tomar um banho para diminuir o risco de contrair alguma doença de morcegos... e eu vou logo depois.
Então os dois voltam para casa o mais rapido possível e se limpam.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
to vendo seus treinos apesar de serem hiper grandes XD

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Eu não vou mais deixar acumular tanto depois demora mais do que o normal pra corrigir por causa da carga.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Foi dificil postar isso aqui pois ler teus treinos é uma aula de historia pra mim e é muita coisa pra ler, porem seus treinos são muito bons parabens e desculpe a dmeora se faltar algo nos pontos me avise!.

Never
: 4 habilidade com arma
4 em força
45% em habilidade passiva kunai gigante
30% do jutusu Kohiki no Jutsu
4 cc
4 habil
25% do jutsu dochuu,
7 pontos em biologia,
5 pontos em botanica,
10% do kunai gigante

Hatsumi: 4 força
4 controle de chakra
7 habil
30% habil passiva fala humana,
3 velo
4 cc
20% juujin Bunshin
25% no tsuga
Aprendeu Kinobiri com 15%

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Minha intenção é controle de chakra para o Never e a Hatsumi

Never, Hatsumi e chegaram apressados a pedreira em que treinaram da ultima vez.
-Vamos logo com isso os regentes pediram para eu aparecer para uma conversa daqui a uma hora e meia... vamos treinar nosso ponto fraco o controle de chakra... eu vou manter várias ilusões de henge e você o juujin bunshin, eu vou tentar ao máximo te atrapalhar e você deve ficar onde está sem reagis apenas tentando manter o fluxo de chakra para a forma humana... isso é mais difícil do que parece ok?
O Inuzuka começa a realizar selos e usa o Henge em várias pedras transformando-as em um sofá, dois gatos e uma ventilador.
-Hatsumi o truque é concentração ok? Abstraia tudo que eu fizer e mantenha o jutsu.
Never realiza alguns outros selos e Hatsumi se transforma usando seu próprio chakra para manter o Jutsu.
O garoto começa com algo fácil tentando empurrar Hatsumi para fora do lugar enquanto mantinha os alvos usando o Henge, era algo difícil, pois obviamente não estava completamente focado em manter o chakra fluindo em equilíbrio.

Isso continua por um tempo até que Never sem muito esforço vai até as costas de Hatsumi e acerta um chute na batata da perna fazendo com que ficasse de joelhos para então realizar uma chave de braço dificultando a respiração e causado dor.
-Concentre-se!
Enquanto isso ele tinha que realizar os selos com a chave de braço o que era difícil.
Hatsumi realizava um esforço Herculano para se concentrar com a chave sufocando-a, por um momento ela sente sua cabeça ficar leve como se fosse desmaiar, mas consegue voltar ao normal assim que sente o chakra do Jutsu começar a sair de equilíbrio.
Exaustos eles param antes que alguém se machucasse, Hatsumi precisou de um tempinho para se recuperar e assim que todos estavam bem Never toma um ar e acelera o que agüentava em direção ao prédio dos regentes.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Análise
Nossa, pelo ue conheço da Hatsumi estou certo de que ela teria te arranhado tensamente quando você usou os "2 ataques". Laughing Sem querer zuar, eu lembrei do treino do Dante onde ele toma os chutes. silent
Recompensa
Por este treino Never ganha 5 em Controle de Chakra e Hatsumi ganha 6 em Controle de Chakra.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Never e Hatsumi se aproximam de um campo com vegetação baixa
e algumas arvores altas bem espalhadas, enquanto terminam de comer um espetinho
de carne.


-Vamos ser breves Hatsumi?


-Woof!


-Vou tentar aprender o Shinjuu Zanshu no Jutsu, é um
aprimoramento do Dochuu Eigyo que me permite fazer pessoas afundarem na terra
comigo acho que tenho uma noção de como deve funcionar, enquanto isso, quero
que você pegue uma pinha no topo daquela arvore treinando o Kinobiri.


Never aponta para um pinheiro ao longe enquanto coloca o
casaco no galho de um arbusto, a cadela imediatamente corre até lá.


“Vejamos se pro Dochuu Eigyo eu tenho que amolecer a terra
ao meu redor com uma aura de chakra doton, eu tenho que expandir um pouco essa
aura, acho que vou tentar afundar aquela rocha ali no solo.”





Never realiza alguns selos para moldar o chakra mais
facilmente e salta em cima de uma rocha dando duas palmadas na sua superfície e
espalhando a aura de chakra pela sua superfície.


“Nenhum resultado? Mas eu senti a aura... ah, o musgo que
ficava próximo do solo sumiu essa rocha deve ter afundado alguns centímetros...
é isso mesmo, o negocio é continuar praticando agora.”





Enquanto isso Hatsumi tenta subir no pinheiro usando o
Kawarimi, ao invés de tentar subir o tronco todo de uma vez ela caminha por
pequenos trechos de cada vez, alterando a quantidade de chakra e aderência do
jutsu para alcançar galhos de dificil acesso de forma que o treino se tornava
mais rigoroso e cançativo, porém mais eficiente.


Em dado instante ela para tomar um ar, enxerga do alto never
meditando em cima de uma rocha com as mãos em uma posição incomum para meditação,
ele apalpava a superfície da rocha como se estivesse moldando algo que ela não
conseguia enxergar daquela distancia, e fica alguns minutos se perguntando o que
o Gennin Dinamite estaria fazendo.





Never, muda a posição das mãos e toca diferentes pontos de
sua superfície para espalhar mais facilmente a aura de chakra doton, por não
estar acostumado a dispersar tanto seu chakra isso exigia uma calma e
concentração enorme para usar suas energias de forma eficiente.


Usando uma técnica de meditação que aprendeu com o Sensei,
ele se ocupou em prestar atenção no que fazia e no ambiente ao ser redor para
esvaziar a mente, tudo que conseguia sentir após alguns minutos era o movimento
do vento e o calor do sol em suas costas.


E assim continua espalhando e concentrando o chakra pela
pedra calmamente, quando derrepente sente um movimento, e a pedra afunda uns 30
centimetros de uma vez quebrando completamente sua concentração.


Com a vista cheia de manchas e um embrulho no estômago,
percebe que gastou muita energia e seu corpo estava pedindo por comida para
recupera-la.


“Que bom que consegui pelo menos um pouco, meu chakra já
estava esgotando, ai será que consigo alcançar algum lugar decente para comer
antes de passar mal?”


Ele solta um pequeno ganido anasalado para chamar Hatsumi e
espera ali imóvel pelo retorno da parceira.


Hatsumi estava tendo trabalho nos galhos mais novos e flexíveis
mas com cuidado ela consegue pegar uma pinha na boca antes de ouvir o chamado
do dono.


“Deve ter exagerado no treino”


Cambaleando Never acompanhado de Hatsumi caminham em direção
de casa onde a parceira pega um pacote de carne seca para que se recuperasse.


-Tem um torneio grande chegando, é bom agente avaliar e se
preparar para a concorrência, certo Hatsumi?


-Woof!

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Avaliações:Muito bom velo novamente a ativa Never. Mas assim sempre que treinar ou for aprender um jutsu, tanto nos treino quanto em missão agora pedimos para que ja coloque o jutsu usado no final do post, pois isso facilita para o narrador ou quem esta avaliando. Ok?
Recompensa:Never: 15% Shinjuu Zanshu no Jutsu
Hatsumi:15% Kinobiri

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz

Never e Hatsumi voltam a pedreira em um dia de ventania para aprimorarem seus Jutsus, com o vendo levantando a poeira Never diz calmamente a Hatsumi enquanto protege os olhos.

-Cuidado com esse tempo, o lugar tem muitas rochas soltas e quero que você escale elas sem se soterrar ou ME soterrar a qualquer momento ok?... vou ficar tentando afundar algumas rochas pequenas no solo para treinar o Shinjuu Zanshu no Jutsu ok?
Com um pequeno latido a cachorra sai correndo fazendo alguns cascalhos voarem faz algumas voltas e começa a escalar a primeira parede que achou.
“Tenho a impressão que o que eu disse não valeu nada... ou será que ela não consegue correr sem fazer isso? Ah deixa me concentrar no treino”
Enquanto isso Never arregaça a manga e fecha os olhos deixando o Chakra Doton fluir em suas mãos então com força ele dá uma pancada de mão aberta em uma pedra de tamanho médio e arredondada ao seu lado tentando fazer o chakra doton cobri-la e usando a força do braço para afunda-la.
Sem muito resultado imediato leva alguns instantes para que o chakra flua corretamente e a pedra afundasse facilmente.

Enquanto isso Hatsumi termina de escalar o paredão faz meia volta na parede e corre em direção ao chão saltando para a lateral de uma grande rocha e depois para outra próxima cheia de energia.
Never olha para Hatsumi por uns instantes.
“Ela parece estar se divertindo... fazia um tempo que não treinávamos direito...”
O Inuzuka sem mais interrupções continuou tentando afundar as rochas com seus braços uma a uma, até que uma rajada de vento atira poeira em seus olhos obrigando-o a se proteger com o capuz.

No instante que Never limpava os olhos o impulso de Hatsumi atira alguns cascalhos no topo da pedreira que solta algumas pedras maiores e antes que pudesse avisar Never um deslizamento de pedras.
Pouco antes de ser soterrado Never sentiu um repentino cheiro de terra que foi levantada e instintivamente salta em cima da pedra mais próxima de si.
Ele calmamente termina de limpar os olhos e encara Hatsumi no topo da pedreira com um olhar de desaprovação.

Enquanto uma tempestade se aproximava e Never sente uma diferença grande na humidade do ar.
-Hatsu! Agente vai ter que sair daqui logo gasta o resto de chakra que tiver e vamos embora!
“Vou afundar pelo menos essa grande”
Ele começa a acumular bastante chakra doton nas mãos, de olhos fechados e se concentrando algumas gotas de chuva caem em seu rosto.
Então com um enorme esforço ele violentamente bate as mãos contra a rocha e se tenta fazer o chakra cobrir sua superfície.
“Vaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaai!!!”
Derrepente a rocha afunda um metro com um solavanco, e esgotado ele se fecha os olhos e tenta recuperar o fôlego.
-A hora que você quiser Hatsumi!
A cachorra ricocheteava de uma superfície a outra e quando termina solta alguns latidos alegres do topo, o parceiro logo se junta a ela e eles caminham calmamente até casa.

Jutsus Treinados:
Tanto eu quanto a Hatsumi já aprendemos ambos.
Doton - Shinjuu Zanshu no Jutsu (Libertação da Terra - Técnica do Caçador de Cabeças)
Quem usa:
Rank: C
Descrição: Variação do Dochuu Eigyo, sendo que neste o usuário pode conseguir levar alguém para dentro da terra consigo.
[A porcentagem é equivalente a velocidade que o usuário poderá usar como se estivesse nadando, ou seja, tendo 50% do jutsu treinado, usará 50% de sua velocidade nos movimentos.]

Kinobiri (Andar)
Quem usa: Técnica ninja básica, quase todos os shinobis usam
Rank: E
Descrição: Concentrando chakra nas solas do pés, o ninja pode escalar árvores, paredes, além de outras superfícies, sem usar as mãos e sem cair, pois ficam com os pés grudados.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
(Eu li um manual sobre como fazer um soco especial do Bruce Lee, o soco de duas polegadas que é quase igual ao gouken, entenda que esse é um taijutsu simples mas complicado de explicar por ser um taijutsu imagino que ele não use chakra, caso o corretor ache que ele deve ser feito de forma diferente, me explique na correção e nos treinos em que tentarei ganhar porcentagem com o Gouken farei o Never entender o como fazer corretamente.)

Never e Hatsumi se unem novamente na pedreira após a tempestade.
-Hatsu... ta sentindo um cheiro estranho? de umidade?
Eles investigam e descobrem que havia água saindo de algumas pedras.
-Uma mina de água? Quer dizer que o lençol freático de konoha está aumentando... veja Hatsu é assim que começa um rio... e isso é perfeito... eu quero aprender um Taijutsu que quebra rochas isso será útil para abrir o caminho para essa mina de agua...
Hatsumi olha para ele e que responde sem graça.
-Tem razão eu vou é quebrar a mão hahahahaha!
Próximo da pedreira Never encontra uma arvore baixa, mas larga.
-É essa aqui... Hatsu quero que você empurre o máximo de pedras que conseguir da pedreira para cá vou usar no próximo treino... aaah... um soco capaz de causar uma marca nessa arvore sem usar chakra...
Ele faz alguns socos testando formas mais eficientes de aumentar a força do soco e com o tempo descobre que se mover o tronco e o ombro na direção do alvo a força desses músculos é transmitida para o soco.
Hatsumi vai empurrando com a cabeça as pedras maiores e carrega com a boca as menores, não era tão difícil, porém fazer isso sem parar até que never diga para parar era muito mais cansativo que um exercício normal.
Ela ia pedir por um descanso, ela se aproxima de Never concentrado e percebe que sua mão estava sangrando por socar tantas vezes a arvore e envergonhada, volta a empurrar as pedras com força total.
Never sentia que seus socos haviam ficado mais fortes, mas sua mão esquerda estava toda machucada, ele passa um tempo socando o ar tentando sincronizar o soco com o movimento do resto do corpo.
“E se eu usar a perna para dar um pouco mais de impulso para frente?”
Ele sincroniza o corpo e usa a perna para impulsionar o corpo um pouco para frente, e sente que a força do soco aumentou mais ainda.
“Então o truque é conseguir passar a força dos músculos do resto do corpo para o soco? Eu ainda preciso me concentrar muito pra fazer isso em uma luta, mas com treino eu vou poder fazer isso rápido...”
-Chega Hatsumi... pode descansar por hoje, o exercício foi mais tenso pra você do que pra mim.
Never pega uma pedra de tamanho médio bem redonda com o braço cançado.
-É por isso que eu usei só usei o esquerdo Hatsu.
Ele taca a pedra pra cima e com o direito tenta acertar a pedra transmitindo o máximo de força do corpo para o soco.
Ele erra o primeiro, o segundo e com o tempo a precisão vai aumentando cada vez mais, e ele percebia que a distancia que elas voavam depois de acertar também estava melhorando.
“Quando não agüentar mais eu paro, o treino está indo bem...”
Never continua tentando até que Hatsumi começa a lamber os machucados em seus punhos.
-Ok, ok... eu vou para casa fazer uns curativos você também deve estar com fome...
Os dois vão para casa exaustos e pensando em encomendar carne para o jantar.


Gouken
(Punho Forte)
Rank: D
Descrição: Um soco poderoso que causa danos no adversário para o corpo exterior.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Never ganha 25% no Doton - Shinjuu Zanshu no Jutsu e aprende o Goken em 15% + 2 pontos em força.

Hatsumi ganha 40% no Kinobiri e 3 pontos em força.

Tudo OK, com o treino do Goken, vamos fazer assim mesmo ^_^.


Última edição por Aburame Luks [ADM] em Ter Jan 31, 2012 11:34 am, editado 1 vez(es) (Razão : ATT)

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Never e Hatsumi vão até um paredão de pedra em meio a floresta.
-Hatsu... agente vive vindo treinar aqui não é?
-woof!
Never senta um pouco na grama pensativo.
-Esse lugar fica afastado de qualquer trilha, num lugar lindo... quem sabe um dia agente venha morar por aqui... bom vamos para o que interessa.
-Eu comprei essa Kurasigma uma arma de médio alcance faz uns dias, eu sei que ando me focando em Jutsus, mas uma arma assim pode ser muito útil para o Chuunin Shiken que ta vindo E é assim que eu vou te ensinar o Shunshin.

A cadela sentada olhava para ele concentrada sem mover um músculo enquanto Never tentava explicar com cuidado.
-Sabe o como você usa o chakra para fazer suas patas grudarem na parede para fazer o Kinobiri?
Obediente Hatsumi responde.
-Woof!
Calmamente o Inuzuka explica.
-É semelhante, mas ao invez de fazer o chakra “vazar” pelas patas você faz ele ficar circulando nas suas “pernas”, você vai sentir como se essas partes do corpo estivessem cheias de energia e vai conseguir usar essa energia para correr ou saltar muito rápido...
Hatsumi fica uns momentos em silencio, mas logo em seguida.
-Woof!
Sorrindo o Gennin enrola parte da corrente em um braço.
-Isso! Você já me viu fazer isso várias vezes! Eu vou tentar te acertar com a Kurasigma de longe, você desvia tentando usar o Shunshin quando estiver boa quem sabe agente tenta de perto?

Never gira a corrente por um tempo tentando sentir o peso da corrente e da ponta e tenta um golpe lateral, Hatsumi desvia fazendo um salto normal.
-Coloque o chakra nos músculos ANTES de pular ok?
Never faz uma sequencia de giros simples com a corrente, Hatsumi salta, rola e desvia.
-Vamos corra em circulo!
-Woof!
Never faz um golpe vertical com força, a velocidade de Hatsumi aumenta um momento antes da foice ser cravada no chão.
“Eu deveria tomar mais cuidado...”
-Isso! Continue correndo! Rápido! Mais rápido! Agora vou a sério.
Never gira a foice com força fazendo grandes círculos, fáceis de prever por sua simplicidade.
“Tomar cuidado para não cravar isso no meu estômago.”
Never já estava memorizando o peso da arma e a força necessária nos movimentos rápidos, ele tenta acertar a cachorra cravando a foice no chão novamente, ele corre segurando a corrente e tenta fazer a cachorra tropeçar mas por pouco ela salta por cima, com força ele puxa tentando acerta-la no ar mas a velocidade já estava muito alta e a ponta não consegue alcançá-la a tempo.
-Não é um Shunshin, mas da pra perceber que já ta bem mais rápida que o normal! Vem pra perto!
A cachorra começa a correr perto do Inuzuka eventualmente saltando e fazendo rasteiras, enquanto o parceiro tenta usar a nova arma a uma curta distância.
Em um certo momento a cachorra simplesmente deita no chão arfando, o Inuzuka enrola a corrente toda no braço e segura as duas pontas com um braço, se aproxima da cadela e senta ao seu lado, dando tempo para que ela descansasse.
-Acabamos de chegar a Konoha e não avisei quase ninguém ainda, acho que sou bem irresponsável nessas horas sociais...
Hatsumi silenciosamente concorda, e assim que se recupera os dois terminam o dia e vão para casa se recuperar.


Descrições:
Kurosigma (Love and Hate)
O par de foices conectadas por uma
corrente de 3 metros, com tinta negra permanente Never pintou as
palavras, amor em uma e ódio em outra, apesar de ter mantido o corte
afiado nas pontas, criou um serrilhado no resto da lâmina para que
rasgasse carne mais facilmente.

Estou tentando ensinar o Shunshin a Hatsumi, ja convercei sobre isso a uns tempos com o Luks e cães Inuzukas podem aprender jutsus básicos.
Shunshin no Jutsu (Técnica do Movimento Rápido do Corpo)
Quem usa: Ninjutsu básico
Rank: E
Descrição:
O ninja desaparece em um local e aparece rapidamente em outro lugar.
Para mascarar a fuga ele pode deixar névoa, areia,fumaça ou algo do tipo

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Avaliações: Muito bom o treino, não tenho muito a comentar, só que a Hatsumi aprendeu a fazer o jutsu, parabéns xD
Recompensa:Never: 2Habilidade com armas +10% Habilidade passiva "Kurosigma"
Hatsumi:10% Shunshin no Jutsu

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Never e Hatsumi chega a ilha para onde centenas de refugiados estão sendo enviados, o lugar era deprimente e cheio de miséria em meio toda a natureza da ilha.
O clima quase sempre era chuvoso e humido, o ar um pouco frio mas Never não estava certo se isso era o clima normal da área.
“Hummmm nunca ouvi falar disso, estão tirando todos os miseráveis das ruas dos países inimigos e mandando para cá, para ocupar essa ilha...”
Ele desce primeiro do navio e como um bom monge faz uma prece para cada pessoa que desce da embarcação, até os soldados inimigos.
“A maior parte das pessoas aqui é do país da cachoeira, então essa ilha antes desabitada passou a pertencer ao país da cachoeira? Seria esse êxodo uma forma de se livrar dos miseráveis? Ou algo mais?”

Quando terminou de fazer suas preces ao ultimo tripulante, um fiscal do porto se aproxima de Never.
-Boa tarde, não estávamos esperando nenhum monge aqui, posso saber que tipo de assunto está vindo tratar aqui?
Never tira um pergaminho de sua manga e entrega.
-Mestre Padock do Monastério da Estrela Norte me enviou, ele disse que estavam enviando muitas vitimas da guerra para cá e que gostaria de enviar alguns monges viajantes para aliviar o sofrimento, esperava que já soubessem disso.
O oficial le o pergaminho com cuidado enquanto Never diz.
-Meu nome é Okami Pachimi, e até onde eu sei mais uns 3 monges estão sendo enviados para cá apesar de que eu não sei quem são eles.
O oficial diz em um tom autoritário.
-Parece que está tudo certo posso ver o selo da ordem você não é parte da ralé, siga a rua da ladeira até o bairro dos oficiais se estiver querendo fazer trabalho humanitário é lá que irá receber suas ordens.
Never faz uma pequena reverência e se dirige ao local, o lugar era uma terra sem lei, os militares impediam apenas que a pequena colônia saísse do controle mas cada pessoa, adulto ou criança competiam entre si por quaisquer recursos e a violência parecia ser grande.
Ao entrar no lugar era um lugar bem cuidado, parece uma pequena vila que existia anteriormente a chegada dos exilados, o lugar essa murado contra o exterior e os soldados no portão deixavam apenas pessoas que não pareciam estar passando fome entrar.
“Aqui existem militares, nobres, comerciantes ricos... eles parecem ter recebido muitos recursos para morar aqui, eles não distribuiram entre a população? Ou o Daimyio nunca enviou recursos para os exilados em primeiro lugar?”
-Hey!
Never e Hatsumi olha para lados opostos...
-Hey você! Pachimi sim?
Never olha e um velho monge o chama da janela de uma casa de três andares que mais parecia uma pequena torre.
-Sou eu sim, você seria o Mestre Satoshi?
O senhor de meia idade sem barba ou cabelo se inclina pela janela.
-Sim sim, está um caos aqui dentro! Por favor me ajude levando essas caixas para cá!
Never olha para o outro lado da rua, logo a frente da janela e um carregamento gigantesco de caixotes estavam empilhados, três metros de caixas pesadas recheadas de pergaminhos.
“Pra que tudo isso? Não é apenas uma base de campo?”
-Sim, mande algum assistente para cá!
O mestre responde com uma risada pacífica.
-Você é o primeiro a chegar! Sua pontualidade é impressionante mas não se preocupe, tudo será explicado a tempo!
Never vira para Hatsumi e faz um afago nela.
-Você não vai ser muito útil agora, porque não explora um pouco a cidade?
Hatsumi responde com um latido afirmativo e corre para o lado exterior do bairro nobre da cidade.
Never enrola as mangas do Robe e começa a carregar os caixotes pesados, os soldados de passagem olhavam impressionados para a força do monge, Never era tido pela ordem como um talentoso artista marcial, por isso era frequentemente enviado para lugares perigosos por saber se defender com eficiência diferente dos Monges estudiosos..
Após umas 25 caixas Never se ajoelha no tatami do segundo andar exausto.
-Mestre para que todos esses pergaminhos? Parece que você está tentando fundar um monastério aqui!

O homem de meia idade estava escalando uma grande estante e colocando pergaminhos em ordem responde.
-Eu pedi para que mandassem alguns monges para cá as pressas e não pude informar todos devidamente...
Ele observa a janela como que prestando atenção se havia mais alguém além de eles diz.
-Não estão fazendo isso apenas aqui, mas em diversas ilhas da area, eu não sei qual é a intenção mas eles querem essas ilhas ocupadas e nas mãos deles... todas estão recebendo milhares de miseráveis gerados pelos anos de guerra e todas estão sob lei marcial... essa "colonização" das ilhas é um caldeirão de atrocidades... todos nós fizemos um juramento... manter o equilibrio no mundo, por isso devemos ajudar a aliviar o sofrimento... da forma que for necessária.

Never pondera.
-Você quer dizer... de qualquer forma a qualquer custo?
O mestre responde.
-Sim pretendo seguir as regras da nossa ordem mas teremos um trabalho muito dificil... pedi por um bom artista marcial para ajudar a proteger os cidadãos e aqui está você...

Enquanto isso Hatsumi observa um mercador de carne faminta por um pouco da carne de coelho.
"Por que ele não da um pouco da carne? ele tem tanta carne pendurada!"
-Eu não tenho isso tudo!
Ela escuta uma voz masculina vindo de uma viela ao lado do açougue.
-Onde ela está?!
Ela lentamente se move 5 metros para a direita e observa uma discussão entre dois homens vestindo peles de animais e um homem franzino.
-Minha mulher estava trabalhando aqui a uma semana e desapareceu! porque todos os funcionários aqui desaparecem?! não me façam obrigar vocês a falar!
Ela vê uma pequena faca na mão do homem e arrepia o lombo, algo ruim iria acontecer ela caminha pronta para entrar no meio em direção ao beco.
Os dois sacam facões da cintura prontos para confrontar o homem franzino, quando Hatsumi inesperadamente para os homens que não a haviam percebido salta em cima de um deles derrubando-o no chão enquanto mastiga o braço que segurava o facão.
Quando o outro caçador levanta o braço para acertar Hatsumi ela simplesmente rola para o lado saltando em cima do segundo caçador no tempo que levaria para ele preparar outro golpe empurrando-o contra a parede.
Hatsumi se afasta o mais rapido que podia e late em um tom estranho para um cão... algo que para um humano pareceria como um.
-WOOAI!
O homem frenzino não precisava entender ele sabia que deveria fugir.

O caçador com orgulho ferido corre em furia em direção a Hatsumi deixando o colega para trás a cachorra salta por cima do muro e percebe que a porta do açougue próximo a onde estava o caçador derrubado havia se abrido deixando um cheiro estranho entrar no nariz de Hatsumi por alguns momentos, era um tipo de carne desconhecida.
Ela corre por algumas ruas desviando dos pedestres enquanto é perseguida pelo caçador que derrubava todos em seu caminho para alcançar a cadela.
Um muro que dava em um cortiço fica em seu caminho e a cadela salta por cima dele sem exitação, ela então entra por dentro de algumas casas e por vezes quase era acertada por algum morador assustado.
"Ainda me seguindo? ele deve ser o alfa desse todo mundo para ser agressivo com os outros humanos sem ligar com o depois..."

Eles voltam para a rua e Hatsumi consegue passar pelos soldados de prontidão no portão do "bairro nobre" mas o caçador é barrado ficando com duas Katanas encostadas em seu pescoço.
Never olha ao longe para aquela bagunça, o caçador gritou alguma coisa ao longe e ele percebe de primeira que teve alguma coisa com a Hatsumi.
"Ela não deixaria alguém tão furioso a toa... deve ter alguma história aí."
Então Never o ignora e passa o resto da tarde ajudando com as caixas enquanto Hatsumi ajuda buscando pergaminhos para o Mestre Satoshi.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Lembrar das vilas citadas: Grande maça de ninjas da Cachoeira na ilha de refugiados, Ilha no litoral do País da Água e monastério Estrela Norte.

4 pontos em força para os dois.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Never e Hatsumi naquela manhã estavam indo para um dos vários bairros sem lei da cidade.
-Hatsu, eu quero descobrir onde eles produzem a droga não adianta desaparecer com os vendedores...
A cadela faz um pequeno gemido em resposta querendo saber o porquê, Never responde discretamente enquanto arruma o cachecol que cobria seu rosto.
-Porque os vendedores são um sintoma do problema não o problema em si, para desaparecer com o trafego eu tenho que desaparecer com a fonte de produção, os responsáveis, e os que tem conhecimento de como produzi-la...

Poucos dias haviam se passado desde que Never chegou a cidade portuária e pouco a pouco havia coletado informações suficientes para ter suas próprias teorias sobre o porque do pais da cachoeira estar tão desesperado para colonizar essas ilhas com poucos recursos.
“Isso provavelmente é uma colônia, e serve como entreposto militar próximo as forças aliadas... a população é deixada em uma situação de miséria e caos completo para mante-los divididos, desesperados e ignorantes demais para se organizar contra o modo em que são tratados... existem manufaturas por toda a parte, os impostos são tão altos que quase todos os trabalhadores estão com suas vidas presas em um gigantesco débito que só aumenta, quase trabalho escravo... o trafico de drogas gera um grande grupo de criminosos que mantém a população com medo e arranca mais dinheiro deles, mas seria isso parte do plano? Ou uma consequência?”

Never com suas roupas de mendigo e cabelo solto e rosto coberto dificilmente seria percebido, como um bom espião ele estava desenvolvendo mais de um disfarce... como mendigo ele tinha a voz áspera e uma tosse incessante que indicava estar doente, Hatsumi estava suja cães Akita são muito comuns no continente por isso seria difícil identifica-la como o mesmo cão do monge Okami.
-Hey você, está perdido ou coisa assim?

Dois homens carregando lanças rusticas barram a passagem do mendigo.
-Eu to precisando, de um pouco de fumo... com quem eu posso comprar?
Os dois homens olham para ele com certo descaso.
-Você pode comprar seu lixo?
Never tosse por alguns segundos e responde.
-Economizei a semana inteira, agora me deixa comprar meu fumo!!
Os dois riem um pouco e deixam Never passar.
-Hatsu, eu quero que você fareje o fumo e descubra onde estão guardando ou produzindo no bairro... seja discreta esse lugar está isolado da cidade então o nível de perigo é alto...
Hatsumi não emite um som e se separa, então o Inuzuka continua procurando um vendedor por alguns minutos, até passar por uma casa apinhada de gente fazendo expressões faciais estranhas.
“Mais claro que isso, só com um letreiro grande”

Never entra no local, o cheiro concentrado estava causando grandes dores de cabeça ele bate com força na porta antes de entrar para chamar o responsável pela boca.
-Já vai! Já vai! Qual é a pressa?
O vendedor e dois seguranças grandes e armados vão até a entrada do local, Never diz a eles agindo como alguém que eles não deveriam tentar intimidar.
-Eu tenho que entregar algo para o chefe ainda, então vamos fazer isso logo... eu tenho uma mensagem do chefe é melhor falar em outra sala...
O vendedor da uma pequena risada.
-A maioria deles estão usando as novas drogas eles não estão nesse mundo pode falar...
Never observa suas expressões vazias disfarçando a curiosidade de saber o que aquelas drogas faziam a mente dessas pessoas.
-Haverá uma reunião importante sobre as novas drogas as 9 no penhasco da ilha, o chefe quer vocês 3 lá, só pessoas que ELE escolheu devem ir então fique com a boca fechada...
O vendedor arregala os olhos.
-Só nós? E porque...
Never diz.
-O chefe tem um trabalho para nós cala a boca e esteja lá as 9, se você faltar é melhor não aparecer por aqui de novo...
Antes que o vendedor falasse algo, Never deu as costas e saiu pelas ruas.

Enquanto isso Hatsumi seguia um dos poucos homens saudáveis que pelo cheiro carregava a alguma droga.
Ele entra em um barracão e Hatsumi se deita do lado de fora disfarçadamente procurando escutar o que estava acontecendo alí, e cumprimenta um homem de voz estranhamente metálica, como se o som estivesse saindo de um tubo de metal, essa pessoa trazia um cheiro estranho de ferrugem consigo e a sensação do seu chakra era desagradável como que sujo se é que essa descrição sequer faz sentido.
-E os resultados?
O homem responde.
-Um sucesso a droga funciona extremamente bem, talvez bem demais... as doses que temos administrado tem um efeito devastador a mente e é extremamente viciante, mas funciona.
Impaciente o homem de voz metálica pergunta.
-E os efeitos? Em quanto chegamos?
Gaguejando o homem responde.
-1% as doses altas fazem a mente chegar a 1% os sentidos também se tornam extremamente aguçados, porém claro a velocidade corporal ou força muscular não são aumentadas, após o efeito passar o corpo fica com o metabolismo extremamente desregulado e passa algumas horas com a mente em um estranho estado de semi consciência.
A voz com um tom muito satisfeito pergunta.
-E o que você sugere para resolver esses... efeitos colaterais?
O homem que nesse momento pode-se deduzir ser uma espécie de farmacêutico diz.
-Experimentar com doses menores e melhorar o processo de refinamento para tirar uma porcentagem maior dos produtos que não envolvem o efeito que procuramos... mas o Slomo funciona suponho que em breve ele possa ser distribuído como uma droga para ser usada em emergências.
A voz finaliza.
-Sim, faça isso... você tem duas semanas para apresentar um plano de produção em grande escala.

Derrepente o cheiro desaparece, Hatsumi havia escutado suficiente e ela se dirige ao ponto de encontro que Never havia combinado, eles então esperam até o horário da “reunião”.
A mata da ilha era fechada quase como uma floresta tropical, o trio de traficantes se deslocam na trilha para uma clareira localizada próxima ao desfiladeiro.
Never observa eles ao longe da copa das arvores enquanto Hatsumi espreita a distância.

O Inuzuka quase salivava em uma espécie de agressividade animal, aqueles três eram suas presas, ele havia passado tempo demais reprimindo sua verdadeira natureza, a natureza de um Inuzuka um predador de humanos, reprimindo sua raiva e frustração para dar lugar ao monge sereno que tinha que ser no dia a dia, tudo o que podia pensar era dilacerar aqueles três... seus crimes eram altos e ele se sentiria satisfeito tomando suas vidas.
Ele estava usando roupas escuras e estava coberto por uma camada de lama que lhe proporcionava uma boa camuflagem noturna e o protegia dos insetos que infestavam o lugar.

Em dado horário ele faz alguns cliques com a boca sinalizando Hatsu que era hora, ele derruba um grande vespeiro no meio do trio, e imediatamente se afasta ileso pois a lama encobria seu cheiro.
Os três se perguntam por alguns segundos o que seria aquilo até que fosse tarde demais e eles estivessem envoltos pelo enxame furioso.
Um dos seguranças em pânico corre para dentro da mata e Never faz outro clique definindo o alvo de Hatsumi os outros dois correm pela trilha em direção a clareira, o Inuzuka apenas os observa correndo pela mata sem pensar no que faziam.

O segurança que se separou do grupo está coberto de picadas e percebe estar perdido na mata, ele carrega uma tocha que tornava o trabalho de hatsumi em segui-lo muito simples, em sua outra mão uma machadinha.
Hatsumi circula a área onde ele está pisando em alguns galhos secos para deixa-lo afobado e alertar a presença de um animal.
“Isso, presa pense que o animal que pisou no galho está parado exatamente de onde veio o som...”
Ela salta das sombras no homem de costas e morde sua batata da perna, arrancando um pedaço de carne e causando um grande sangramento, enquanto diminuía sua mobilidade.

Enquanto isso os outros dois chegam a clareira, cheios de picadas, o traficante observa ao seu redor e diz.
-Ninguém aqui, aquele vespeiro não pode ser uma coincidência Sato...
Ele pega duas facas da cintura e ao olhas para trás fica pálido, Never estava de ponta cabeça suas pernas o seguravam em um galho de arvore resistente enquanto enforcava o segurança que estava fora do chão um pouco de linha ninja, sangue saia da área do pescoço mas o traficante não sabia ao certo se eram apenas os dedos do segurança sendo cortados pela linha fina e resistente ou se estava tudo perdido para o companheiro.
Em Panico ele atira uma das facas contra o braço de Never que solta o homem e sobe na arvore.
-Sato? Droga ele conseguiu cortar o seu pescoço com a linha! Um ninja... um ninja! Eu vou ter que usar a amostra!
Hatsumi havia cansado o segurança que se arrastava com uma série de ameaças e fintas, ele havia deixado uma trilha de sangue pelos poucos metros de que se arrastou.
Em um dado momento ela consegue saltar em cima dele sem ser atingida, prendendo-o contra o chão e perfurando seu pulso com uma mordida que o obrigava a soltar a machadinha.
Outro grande sangramento é feito, e os dois escutam alguns uivos próximos ... Hatsumi apenas encara o criminoso por alguns segundos antes de correr deixando o homem em pânico a mercê de uma matilha de lobos que estavam saindo de entre as arvores, tudo o que ela pode ouvir enquanto de dirigia a clareira foram alguns gritos e em alguns segundos o silêncio da mata.

Never observa o homem tirar um pequeno vidro com um liquido escuro do bolso.
-Você não vai conseguir lutar comigo... eu sou um ex-soldado, cheguei a ter uma patente muito alta... tropas Kaze! Matávamos pequenos batedores como você...
Ele inala os aproximados 250ml da droga e seu rosto se torna calmo pálpebras parcialmente fechadas, sua pele fica vermelha e seu corpo se curva com se seus músculos tivessem relaxado.
“Isso não pode ser bom...”
O homem olha para cima e imediatamente percebe onde never estava, com uma velocidade inacreditável ele saca uma faca de arremesso da cintura e atira sem sequer tomar tempo para mirar, errando Never por pouco.
“Um porcento do que? O que essa droga faz?!”
O homem saca três facas e as atira com uma precisão assustadora, Never se deixa cair segura um galho um pouco abaixo e não consegue desviar de outra faca que faz um corte não muito fundo em sua costela.
Never chega ao chão dobrando os joelhos para amortecer o impacto, e começa a cantarolar baixinho uma musica.


Musica aqui, Luks escuta essa musica sério!

O adversário se lança em cima de Never quase cravando uma faca em seu ombro, Never faz um desvio para o lado e usando as luvas ninja cravejadas tenta acertar o adversário na costela.
Mas para a surpresa do Chuunin o adversário consegue na fração de tempo que tinha perceber o golpe e rolar para o lado aproveitando o final do rolamento para lançar duas facas, uma delas erra e outra corta a orelha de Never criando uma fenda no lugar e causando uma grande dor.
“O que está acontecendo?! Ele não está mais rápido! É como se ele tivesse um tempo de reação absurda!”
Never ativa o Shikyaku no Jutsu, soltando um rugido tão alto que ele chega a sentir gosto de sangue em sua garganta e o adversário sente suas costelas vibrarem.
O Inuzuka se lança para o adversário tentando acertá-lo com o metal de sua luva no rosto, o adversário com sua expressão passiva, segura suas mãos com uma facilidade tão grande que chega a posicionar seus dedos entre os cravos de metal.
O jovem continua em uma sequencia de golpes rápidos e poderosos.
-UM, DOIS, TRÊS! JOELHADA, RASTEIRA! AGARRAR! Nada funciona?! Nada?!
No ultimo soco, o oponente puxa seu braço fazendo-o perder o equilíbrio e impede que ele caia no chão acertando uma cotovelada poderosa em seu nariz.
Derrepente uma sensação fria em sua costela que rapidamente se transforma em algo úmido e quente, ele olha e uma faca quase penetrou seu pulmão, ele tosse como se não conseguisse absorver ar suficiente para ter fôlego.
Ele recua, e então é atacado por uma série de golpes de facas de todos os ângulos e direções, o que era para ser um sequestro e interrogatório se tornou uma batalha pela vida, ele estava em pânico e era quase ofuscado pelas fagulhas geradas pelos atrito entre as facas do oponente e suas Kunais.
O som de metal contra metal enchia o lugar, o oponente então consegue uma abertura para cravar uma faca no diafragma de Never que seria seu fim, mas este é surpreendido pela placa de metal disfarçada sob sua capa de viagem, o Inuzuka então o acerta com um golpe na traquéia sufocando e fazendo o adversário perder a consciência terminando a luta.
Never então espera Hatsumi chegar, e com a ajuda dela arrasta o adversário para uma caverna com uma entrada praticamente inacessível no paredão do desfiladeiro onde ele cuida de seus ferimentos e usando sua técnica Doton prende suas mãos e pés dentro da rocha bruta do lugar.
-Hatsu, traz comida e agua, podemos passar um bom tempo aqui fazendo interrogatório...
Never termina a noite colocando os ossos do nariz quebrado no lugar antes de praticamente ficar inconsciente pelo sangramento e a dor.
“Eu não sei o que essa droga faz mas isso é muito sério... eu saí vivo por um golpe de sorte.”

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Never estava bem ferido, como uma droga poderia tornar alguém tão absurdamente forte de uma hora para outra?
Hatsumi começa a lamber suas feridas quando Never a interrompe.
-Droga eu deveria ter te ensinado isso antes... Hatsu vou te ensinar uma técnica Inuzuka que eu tenho planejado, não é algo muito comum no clã mas eu lembro da Fuume usar isso quando eu era pequeno... provavelmente foi uma invenção da antiga dona dela que não se popularizou no clã...
Ele tosse um pouco e diz.
-Você já entende como o Chakra funciona, energia física e espiritual... a saliva canina tem efeitos esterelizantes, anestésicos e cicatrizantes por isso cães tem o instinto de lamber feridas, tal como outros animais com essa característica em comum como cavalos...
Hatsumi estava imóvel porém impaciênte, ela queria ajudar Never o mais rápido possível.
O jovem amarra um pouco de linha ninja em uma senbon e começa a realizar pontos no corte nas costelas.
-Ah! Bom você deve colocar chakra puro na sua saliva, mais precisamente nas glândulas salivares que ficam embaixo da sua língua e misturar bem... aaaah...
Ele faz uma pausa e continua.
-Deixa acumular saliva e vá colocando chakra aos poucos enquanto mistura... tem que ser chakra puro! Isso vai intensificar as propriedades curativas... ugh! Tenta perceber se o sabor muda, deve ser um bom indicador de quanto chakra está misturado... depois comece a lamber espalhando bem dentro do ferimento...
Hatsumi obedece, e percebe que sua saliva mudava de gosto, alguém com conhecimento sobre acidez poderia descrever isso como um gosto de ph básico, e aos poucos ela mistura e lambe o corte na costela e na orelha de Never.
-Se concentra um pouco na costela, eu preciso fazer alguns pontos na orelha senão eu vou ficar com esse partido para sempre...
A dor era estrema e pois o Inuzuka sabia apenas o básico de primeiros socorros, as vezes Never ficava tonto como se fosse desmaiar e precisava ficar alguns minutos imóvel até se recuperar.
Hatsumi continua lambendo seus ferimentos, cada vez mais tentando sentir cada vez mais o sabor básico que indica a concentração de chakra na saliva.
Estava para amanhecer, haviam se passado aproximadamente 8 horas desde que Never entrou na caverna, ele dormiu por algumas horas de exaustão e dor, mas foi um sono leve e inqueto, ele cheira suas feridas com seu bom faro.
-Não tem cheiro de infecção Hatsu, acho que você aprendeu a técnica... vá caçar um pouco de carne enquanto eu escrevo um pergaminho... temos muito o que fazer hoje.
Ele faz um afago na cadela e ela obedientemente se retira.
Nome do Jutsu: Masui Rikku (Lambida Anestésica)
Tipo de Jutsu: Ninjutsu
Selos: -
Rank: C
Descrição: Adicionando chakra puro (verde) na saliva do cão (ou lobo), o Inuzuka aguça as capacidades de cura do líquido bucal. Com isso é possível curar ferimentos leves; 1d4 + Habilidade.
[A porcentagem determina o tempo que se demora para preparar o jutsu, sendo que 15% é 60 segundos e quase instantâneo quando 100%]

Never vê o amanhecer da caverna e come seu café da manhã, carne de coelho mal assada em uma fogueira improvisada, e envia Hatsumi para espionar qualquer movimento estranho na área em que estavam e impedir que qualquer um chegasse perto da caverna.
Ele joga um balde de agua na cara do traficante dispertando-o.
-O negócio é o seguinte você foi derrotado em combate, e você está preso pelos pés é mãos em uma rocha muito mais resistente o suficiente para manter preso alguém com o dobro do seu tamanho... eu quero respostas, e eu vou conseguir elas quando você estiver implorando por comida ou água.
O homem cospe e diz.
-Vá a merda seu...
Ele é interrompido por um soco pesado com cravos na boca que quebra dois dentes da frente. E faz um grande corte no lábio.
-Como eu disse... você não tem opção, em até dois dias tomando sol que entra direto pelo paredão, sem água, sem comida e apanhando como um cão a sua mente pode dizer para você ficar calado mas o seu corpo não vai deixar... você vai estar tão dolorido, tão faminto e sedento que o SEU corpo vai ceder... existe algo chamado limite humano... então eu tenho uma proposta... eu quero saber o que essa droga faz, como ela faz, do que é feita e tudo isso...
Never olha para o céu ofuscante o sol entrava diretamente onde o homem estava preso, então ele toma um gole de agua de seu cantil.
-Se você cooperar você pode ser útil, você trabalha para onde o dinheiro está vindo não é? Quanto você ganha? Posso garantir um emprego muito bom no pais do arroz para você com um colega do mercado negro, eu vi todos aqueles drogados que você conseguiu é um bom talento...
O homem salivando.
-Eu não vou trair meus chefes eles vão me matar!
Never então coloca uma mordaça e atravessa uma senbon no nariz do homem com um guizo preso na ponta.
-Não se eu te colocar para trabalhar no país do arroz, precisamos de alguém com o seu talento... eu posso passar algum tempo aqui faça barulho com o guizo se quiser falar... enquanto isso eu vou te usar de cobaia para algo que eu estava querendo aprender... eu ouvi falar que essa ilha tem muitas cavernas mas eu escolhi justo a perto do desfiladeiro, com um rio barulhento no fundo...
Never sorri.
-Você pode se aliar a mim ou não, pessoalmente acho que sair vivo vale mais a pena...
O Inuzuka se aproxima do traficante e solta um grito em sua orelha, ele sente uma dor intensa na cabeça.
Todoroki no Jutsu (Técnica do Rugido da Besta)
Tipo de Jutsu: Genjutsu (do clã Inuzuka)
Modo de Ativação: Escutar um grito do usuário a uma distancia de menos de 1 metro de distância.
Selos: Tigre
Rank: D
Descrição: Um grito a curta distância desregula o sistema auditivo do adversário, tornando-o extremamente sensível a freqüência de som da voz do usuário, assim ele grita novamente dessa vez o cérebro da vitima escuta o som como algo extremamente alto e ensurdecedor quase como uma explosão ao seu lado, causando uma dor horrível nos tímpanos, pavor, e perda de equilíbrio por afetar o labirinto que fica dentro do canal alditivo.
Obs1: Cães Inuzuka podem aprender esse Genjutsu.
Obs2: A audição do adversário só se torna sensível a voz do usuário, qualquer outro tipo de som não é afetado.
[Com menos de 75% o usuário precisa gritar extremamente alto e a menos de 25cm do oponente para que o adversário caia no Jutsu.]

-É uma técnica que eu estou tentando desenvolver, geralmente você tem que pegar leve nas cobaias ao aprender genjutsus para não causar efeitos estranhos enquanto você não tem uma boa prática em desajustar o sistema nervoso exatamente no ponto que você quer, mas bom... você é um prisioneiro então eu vou aproveitar pra aprender isso o mais rápido que puder.
Ele solta outro grito, tentando direcionar as vibrações o canal auditivo, e tudo o que ele percebe é o corpo traficante ficar relaxado e seus olhos revirarem.
-Eu estou tentando afetar o labirinto, mas como é a primeira vez que eu experimento essa técnica eu posso errar e causar uma confusão em lugares que não eram para ser afetados...
Ele então tenta imaginar em que área do crânio ficaria o labirinto e solta uma série de gritos tentando perceber qual faz mais feito.
-Você pode ser um ex-soldado mas eu sei que vocês não aprendem praticamente nada sobre chakra, você é completamente vulnerável...
Never mal percebe o tempo que se passa até um momento em que o pescoço do oponente fica completamente solto, seu olhar fixo para a frente.
“Ele parece ter perdido o senso de direção... isso é um bom sinal, mas eu estou causando uma boa dose de dor... eu não tenho como ter certeza... acho que é o suficiente por hoje...”
Pela posição do sol devia ser aproximadamente meio dia, e por grande parte da manhã o prisioneiro recebendo calor e luz.
-Tá com sede?
O prisioneiro faz que sim com a cabeça.
-Bom eu tenho um pouco de sakê forte... você não é muito útil pra mim se desmaiar...
O Inuzuka abre uma garrafa de Sakê forte que costumava usar quando tinha dificuldade em acender uma fogueira e tira a mordaça dele.
-Espera, essa coisa vai me fazer ter mais sede...
Never coloca a garrafa na boca do traficante e vira sua cabeça para cima forçando ele a beber.
“Eu sei disso, vamos ver até que ponto você aguenta ficar sem falar...”

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Comentário: Wow, o primeiro treino foi incrível ! Gostei muito ! =D Devíamos estar fazendo desses acontecimentos uma espécie de missão, assim tu conseguiria ganhar exp. Legal agir dentro do que se espera: como ninja e como Inuzuka.

Não é NADA simples conseguir purificar o chakra a ponto dele conseguir ser usado em técnicas curativas. Isso justifica inclusive o miserável número de ninjas médicos. Rolei um dado pra ver ser Hatsumi conseguia fazer algo ao menos próximo disso para assim aprender a técnica.
Sucesso.

Sobre o jutsu do grito só li você falando sobre ter gritado, nada sobre a atuação do chakra na ativação do Genjutsu.


Recompensa:
Hatsumi:
Masui Rikku (Lambida Anestésica)15%

Never:
+2Velocidade
+1habilidade
+1controle de chakra

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Um dia havia passado desde o início do interrogatório o Sakê
havia feito um efeito horrível no prisioneiro.


Never havia realizado seus deveres enquanto deixava Hatsumi
tomando conta do prisioneiro e apenas retorna durante o por do sol.


-O corpo humano suporta em média até 48 horas sem agua em
condições normais e pelo seu estado eu diria que você tem algumas horas antes
de desmaiar e morrer...


O prisioneiro com vários dentes e duas costelas quebradas
começa a falar.


-Ela diminui o tempo...


O Monge responde com um tom gentil na voz.


-Você vai ter que elaborar um pouco...


Ele se esforça para falar e diz.


-O Slomo é feito com uma espécie de enguia nativa do país da
agua, não sei como faz... ele faz você pensar rapido e tudo fica vibrante e lento,
mas os efeitos colaterais são bem fortes estão tentando melhorar a fórmula.


Never conclui.


-Entendo, ele faz você enxergar as coisas em camera lenta,
seria horrível se essa arma fosse usada na guerra... uma ultima coisa... onde
fica os laboratórios?


O prisioneiro diz.


-Tem apenas um... na base do exército é enorme e protegido
por guardas e armadilhas... é só isso que eu sei, eu juro!





Never sorri e diz.


-Isso é tudo que eu queria saber eu vou te soltar agora...


O monge pega uma marreta de mão que trouxe em sua mochila e
antes que o prisioneiro pudesse fazer algo ele a acerta com trementa força na
tempora esquerda causando morte quase estantânea.





O Chuunin com as mãos tremulas de fúria fala para a
parceira.


-Só posso imaginar quantas pessoas vão morrer por causa
dessa droga, eu tenho que acabar com isso e levar a maldita fórmula para Konoha
não tem jeito Hatsu...


Never cobre o corpo de pedras e o deixa lá.


-Vamos treinar, eu preciso esvaziar a cabeça antes de armar
um plano.





Never vai até a maior arvore que acha e violentamente soca
ela com as mãos nuas.


"MERDA! EU VOU TER QUE DAR A FÓRMULA PARA KONOHA!
QUANTAS PESSOAS MAIS VÃO MORRER?!


O jovem solta um rugido e começa a tentar despedaçar a
arvore ele usa o Shikyaku no Jutsu e vai arrancando pedaços da madeira com suas
luvas e garras até suas mãos sangrarem.





Hatsumi tenta intervir, mas o parceiro está em um estado
delirante devido a pressão e culpa reprimidos ele não responde e simplesmente
continua, quando suas mãos estão machucadas demais ele chuta por o que parece
ser horas até que seu corpo está coberto de ferimentos leves.


Ele usa o Gouken uma, duas , três, quatro vezes e o velho
seixo se inclina sobre o próprio peso e cai.


Never se ajoelha sem fôlego e suado.


“O que diabos eu estou fazendo?! Eu tenho o que fazer...
vamos começar com esses ferimentos isso pode ser vantajoso... mas vamos evitar
isso no futuro... isso...”


Hatsumi insiste em lamber todos os ferimentos de Never antes
de retornarem, ela tenta novamente a técnica que havia aprendido anteriormente.


Ela enche a boca de saliva e tenta o máximo que pode
purificar e misturar chakra puro na saliva para maximizar a cura, tentando
sentir o chakra fazendo todo o seu caminho e todos os seus movimentos antes de
ser injetado nas suas glândulas salivares .


Ela faz isso por todo o braço e pernas do Chuunin, levando
algumas horas e deixando-a em um estado de cansaço perceptível.


Durante a noite Never chegou naquele estado deplorável no
Monastério Estrela do Norte, chocando mestre Padock e um novo monge que o
Inuzuka não reconhecia.


-Irmão Pachimi! O que aconteceu?!


Never finge fraqueza se apoiando no beiral da porta e soltando
lágrimas verdadeiras, tarefa fácil para alguém que não estava completamente
recuperado de um acesso emocional.


-Bandidos, não pude escapar eles me surpreenderam, eles
esfolaram minha pele com casca de arvore para eu contar segredos da ordem... eu
não sabia de nada importante então eles continuaram até o anoitecer... se eu
não tivesse mandado Hatsumi embora eles teriam esfolado ela!


Os dois monges levam “Okami” para uma cama e verificam seus
ferimentos.


-Isso não pode ficar assim! Bandidos nunca nos atacaram! Nós
protegemos e tratamos das famílias deles!


Never agarra a gola do mestre e diz.


-Eles disseram que iam passar alguma coisa na casca para que
infeccionasse eu estou com medo de eles terem me contaminado com alguma
praga... vocês tem que fazer o que eu estou pedindo... chamem um médico da base
militar diga que eu prestarei serviços a eles em troca de ajuda, eles não me
atenderão se não oferecer algum tipo de suborno...


Mestre Padock não gosta da ideia mas concorda.


-Pachimi esse é o monge Yanchi, ele é um aprendiz de
escrivão... Yanchi vá a base militar e chame o médico leve meu selo e diga que
sou eu quem está pedindo.


Never se vira para Yanchi e diz.


-Obrigado pela ajuda irmão, estou em débito, leve a Hatsumi
com você ela sempre me protegeu e vai te proteger nessa noite escura, eu
treinei ela para identificar e alertar quando ela sentir cheiro de drogas isso
vai te ajudar a não ser atacado a noite.


Hatsumi sabia perfeitamente o que Never queria, colocar os
monges em uma posição de suspeita e cautela em relação aos militares e que ela
espionasse o local enquanto o monge estivesse tentando encontrar um médico de
verdade tão tarde da noite.


“Eu adivinhei isso sozinha? Nossa comunicação deve estar
melhorando ou coisa assim.”

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Avaliação:
Realmente uma historia fascinante que Never esta passando, alem do fato complicado sobre esta formula em....
Outra coisa, você esqueceu de colocar a descrição do jutsu no final do post...


Recompensa:
+3 Força +1 Habilidade para Never
30% no jutsu treinar para Hatsumi

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Yanchi se apressa pelas ruas, com medo da violência que os bairros fora da proteção da guarda oferecem.
Aproveitando que o monge não presta atenção muita atenção na cadela assim que eles se aproximam da base militar Hatsumi se afasta fingindo ser apenas uma cadela das ruas e passa a circular os muros do local procurando uma brecha.
“Hummmm, tem cães aqui, cães treinados talvez eles possam me falar alguma coisa.”


A cadela solta um uivo esperando uma resposta carregando a localização do canil.
Demora alguns segundos mas ela pode escutar duas ou três respostas próximas ao muro dos fundos.
Chegando lá perto ela percebe pelo cheiro que o canil deve ficar apenas do outro lado do muro.
“Me lembro de quando fiquei em um canil desses durante uma missão, ugh era horrível...”
Ela late então do lado de fora do muro alto suficiente apenas para poder se comunicar.


-Quem é o líder do grupo?
-Apenas um latido vem como resposta, um latido alto e grave indicando um cão de grande porte pelo tom de “voz” relativamente agressivo.
-Sou eu, o que quer em nosso território cadela invasora.
Hatsumi sendo muito inteligente em comparação com os outros cães domina a conversa com facilidade.
-Eu quero fazer uma troca.
O cão late alto de mais em uma resposta enérgica, fazendo com que ela fechasse um olho e baixasse a cabeça, ela não queria que essa conversa incomodasse os humanos chamando a atenção deles.
-Há! O que?! uma troca? Isso vai ser bom...
Hatsumi responde firme mas submissa ao líder.
-Eu quero um território na cidade e eu quero esse, os humanos guardam comida aí.
O cão responde baixo em choque.
-Aqui?
Hatsumi explica, sabendo que com certeza os cães detestavam viver nas jaulas.
-Ouvi falar que os humanos tratam bem os cães, dão comida e abrigo eu posso tirar vocês daí se preferem viver no campo eu prefiro a cidade.
A cadela sabia o que estava fazendo, induzindo o líder a pensar que ELE estaria enganando a shinobi canina.
-Pois bem, preferimos correr pelas florestas pode ficar com esse lugar, SE conseguir abrir os portões teremos que atacar todos os guardas então suma da nossa frente.


A cadela responde e escuta quase imediatamente um humano gritando para que os cães se calassem.
Ela então pula o muro ficando em cima do telhado do canil rustico, que parece ter sido constrído na pressa, era como uma cabana de madeira, e telhado de palha diferente da base em sí que era de alvenaria, e madeira com telhado de telhas.
Havia alguns guardas circulando o local um segurança na frente do canil e dois na frente de cada entrada da base, haviam guardas passando peloscorredores também pois era possível ver a luz de suas lanternas pelas janelas.
A cadela desencaixa duas telhas empurrando-as com as patas, e pula dentro do canil.
Ela cai dentro de uma jaula enorme cercada por cães rosnando agressivamente prontos para ataca-la.
O líder era um boxer enorme com um olho cego, mas Hatsumi não responde a agressividade apenas repara que a grade era alta mas aberta próxima ao teto, caminha calmamente até a grade e pula para fora com o kinobiri deixando os cães confusos.
Havia um guarda dormindo em uma cadeira com um molho de chaves grande em sua cintura, ela se aproxima do guarda e em uma ação planejada puxa com os dentes as chaves com força e aproveitando a confusão do guarda que dormia profundamente usa um shunshin para passar por cima da grade novamente se misturando aos cães e deitando em cima das chaves.
Os cães ficam de cabeça baixa temerosos com os movimentos não naturais da cadela, mas o guarda está distraído demais para perceber.
-Droga, não! Se eu perder essa chave de novo o comandante ficará furioso comigo!
Ele procura pelo chão do lugar sem suspeitar dos cães (afinas seria impossível um cão normal roubar a chave.) e sai apressado do canil olhando cuidadosamente para o chão.


Hatsumi salta um pequeno latido.
-Se preparem...
Imediatamente os cães se levantam seus pelos se ouriçam e seus dentes aparecem, mal podiam acreditar que seriam soltos, Hatsumi com uma certa dificuldade coloca a chave na fechadura com a boca e consegue gira-la.
Assim que a porta se abre, uma legião de cães de caça correm de maneira selvagem para fora, aproximadamente 50 deles haviam chegado na ilha a um mês e iriam ajudar a mantes a população sob controle em caso de revoltas.
Hatsumi quase esmagada só escuta vidro quebrando, gritos e o som de espadas cortando o ar.
A cadela decide aproveitar a gigantesca distração, pois todos os guardas estavam tentando ajudar seus colegas sendo despedaçados por vários cães ou tentando matar as feras no portão da frente, ela vai na direção oposta pelas sombras e sem fazer ruido, deixa dois guardas que estavam dentro do lugar passar pela porta do térreo e entra no prédio antes que a porta feche.

descriptionRe: Campo de Treino de Inuzuka Never

more_horiz
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum