Naruto Revo Online


 
PortalInícioRegistrar-seConectar-se
Hey... quanto tempo faz que seu personagem não come? Evite as penalidades por desnutrição... visite o Ichiraku com frequência, lá seu personagem pode se recuperar em instantes !
Sempre lembre de remover itens descartáveis de suas fichas quando os mesmos forem usados. Seja honesto consigo mesmo.

Compartilhe | 
 

 Missão Rank A [ANBU] - Aburame Luks - Senhor da Guerra

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
[GM] Inuzuka Never
Chunnin
Chunnin
avatar


Ficha do personagem
Honra Honra: 100

MensagemAssunto: Missão Rank A [ANBU] - Aburame Luks - Senhor da Guerra   Sab Jul 03, 2010 7:30 pm

Um traficante de armas se estabeleceu em uma cidade grande do país da terra, após alguns boatos chegarem aos ouvidos da ANBU suspeitas apareceram de que seria um tal de Goksue um chuunin que fugiu da vila a aproximadamente uma década.

Um grupo de caçadores da ANBU foram mandados para investigar e após uma semana uma carta chegou a Konoha via uma invocação deles.

Goksue se tornou um grande mercador de armas acostumado a fazer grandes vendas para vilas secretas inimigas da vila, acumulando uma gigantesca fortuna e poderio militar.

As suspeitas estavam corretas e era ele entretanto, a guarda pessoal dele era grande demais além do esconderijo ser bem escondido demais, precisavam de reforços duas pessoas sendo uma de preferencia um rastreador.
O grupo que já está infiltrado na cidade consiste em.
-Uma caçadora especializada em Taijutsu (Usa uma luva de metal pesado como arma) disfarçada de Garçonete em um restaurante local.
-Um Mednin disfarçado de policial na cidade.

A cidade não aparenta ser próxima de nenhuma vila ninja apesar que não é impossível que haja alguma presensa de ninjas da vila secreta da terra.
Foram enviados dois ANBUS de reforço ao invéz de um pois é possível que dentro da guarda pessoal de Gaksue hajam outros Ninjas renegados.

Tempo limite: 6 dias.
Mínimo de palavras: 4000
Voltar ao Topo Ir em baixo
Aburame Rukisu [ADM]
ANBU
ANBU
avatar


Ficha do personagem
Honra Honra: 210

MensagemAssunto: Re: Missão Rank A [ANBU] - Aburame Luks - Senhor da Guerra   Qua Jul 07, 2010 5:21 pm

Primeiro Ato



Assim que Luks foi convocado se dirigiu o mais
rápido possível para a central da ANBU onde foi informado da situação e das novas
descobertas sobre Goksue. O fato de finalmente, depois de tantos anos terem
localizado o foragido animava o Aburame ao mesmo tempo que ao descobrir o
quanto ele tinha “evoluído” e o poder que detinha nas mãos o fazia ficar
receoso.



Ao seu lado se postava mais um membro da ANBU, este
que fora convocado para ser parceiro de Luks nessa missão. Na verdade não era
um parceiro, e sim uma parceira. A kunoichi era uma Jounnin do clã Akira que
tinha longos cabelos roxos que caiam por seus ombros e um corpo de traços leves
e definidos. Ela já fazia parte da ANBU a alguns anos e tinha habilidade
considerável.



Que bom... Ela poderá ser muito útil nessa missão,
caso precisemos entrar em combate direto ou fugir suas habilidades podem nós
salvar.



Quando o instrutor acabou seu discurso, Luks que estava
abaixado sobre um de seus joelhos levantou levemente a cabeça olhando para o
mesmo e disse:



-Não
temos um objetivo em particular se entendi bem. Nossa missão é simplesmente ir
e dar apoio aos Oinnin infiltrados lá ? Qual será o sinal de reconhecimento que
devemos apresentar a eles ?



Depois das breves respostas feitas ao Aburame ele e
a kunoichi foram dispensados e rapidamente saíram dali usando shunshin.



[Muda câmera]
Agora, em cima de um prédio qualquer da vila estavam Luks e a Jounnin Akira
totalmente cobertos por capas pretas que ocultavam seus coletes e proteções da
ANBU.



-Vamos
Luks... –
disse a
Jounnin antes de saltar dali em grande velocidade passando por cima dos
telhados.



Luks rapidamente começou a segui-la para fora da
vila sendo o mais discreto possível para não chamar atenção dos moradores e
ninjas da vila. Ao chegarem no portão os dois aterrissam no chão passando sem
diminuir a velocidade pelos guardas que naquele momento tomavam conta do local.



Guarda 1: -Xii, lá vai a ANBU
de novo... o que será que aconteceu dessa vez?



Guarda 2: -Ah, no mínimo
alguém se meteu numa grande enrascada.



Os dois seguiram pela estrada por algum tempo sem
trocar sequer uma palavra, até que Luks detectou pessoas vindo a frente e
disse:



-Vem
vindo alguém... Vamos passar por dentro da floresta agora.



E em seguida salta para um galho da árvore mais
próxima, sendo seguido pela Kunoichi logo em seguida. Eles continuaram viajem
sem nem ao menos saber que vinha pela estrada. Sem muito o que descrever os
dois continuaram viajem fazendo pausas para descansar sem demorar nada mais do
que precisavam. A viagem até o país da terra iria demorar bastante e eles não
podiam pelo menos inicialmente usar de nenhum meio de transporte. A parte boa
era que passando pela floresta eles acabavam por cortar caminho, economizando
algumas horas de viajem.



A viagem continuou normalmente até que os dois
finalmente resolveram parar num pequeno ponto de apoio para viajantes que
sabiam que estaria próximo de seu caminho. Para não levantar suspeitas, os dois
ao saírem para a estrada usaram
hange no jutsu se disfarçando, tomando a
aparência de um Homem de mais ou menos uns 40 anos e sua mulher de 30 ou 35
anos. Deram o primeiro passo subindo na aberta varanda daquele lugar que era
totalmente construído com madeira. O ranger ( palavra similar a rangido) do
degrau sob seus pés chamou a atenção de um ou dois homens que estavam sentados
na outra beirada da varanda comendo e bebendo alguma coisa. Eles usavam roupas
limpas e “inteiras” e a maçã do rosto avermelhada denunciava que ambos já
estavam bebendo mais do que deveriam.



Ao passarem pela grande porta aberta do
estabelecimento encontraram ainda mais pessoas lá dentro. Algumas não davam a
mínima para a chegada dos estranhos, outros só olhavam pra ver quem era e
claro... sempre tem aqueles que ficam encarando incessantemente. Os dois se digerem
calmamente até o balcão onde haviam avistado um atendente como se nada
estivesse acontecendo, pois claro... Estavam acostumados com este tipo de
situação onde tinham que entrar disfarçados em algum lugar.



-Bom dia
! Estamos de passagem e precisávamos de algo para comer, o que vocês servem
aqui?



O atendente a responde com educação e logo lhe
entrega um cardápio com uma certa variação de refeições. Os dois ninjas disfarçados
analisam o cardápio por alguns instantes até que cada um pede uma refeição
completa.



“Quanto mais energia melhor... sabe-se lá quando
vamos parar denovo.”
- pensava o Aburame enquanto
esperava sua refeição chegar.



Para disfarçar os dois começavam a inventar
assuntos, que obviamente não tinham o menor nexo com a realidade. Foi assim até
que finalmente seus pedidos chegaram e os dois começaram a comer. Passados alguns minutos, quando ambos já
estavam terminando de comer ouviram uma conversa vinda do outro lado do bar.
Aparentemente um homem barbudo e parrudo ( forte e meio baixinho ) estava se
despedindo e planejava seguir viajem para o país da Grama. Ele aparentemente
carregava com sigo vários barris de bebida que venderia por lá. Os dois ninjas
de Konoha pensaram exatamente na mesma coisa... CARONA.



Eles se apressaram em terminar o que estavam
comendo, pagaram 180 Ryous cada um deles e partiram para perto do comerciante
que do lado de fora do estabelecimento se preparava para partir.



-Com
licença...



-Sim...


-Senhor,
nós estamos viajando para o país da grama e ficamos sabendo que o senhor
pretende ir para lá também... Nossa carona mudou de curso em um dos desvios lá
pra trás e acabamos ficando sem meio de locomoção... viemos uma pequena parte
do trajeto andando até aqui, será que o senhor não poderia nos ajudar? Apenas
deixe que eu e minha mulher fiquemos junto com suas mercadorias ai atrás,
prometemos não incomoda-lo.



O homem parou para pensar por alguns instantes e depois
respondeu em tom áspero:



-Tudo bem, mas eu vou cobrar
por isto ! Vou querer 50 Ryous de cada um de vocês, pelo menos de inicio.



Os dois existaram por um momento, mas logo chegaram
à conclusão de que 50 ryous não seriam um grande problema.



-Ah, sim
tudo bem... nada mais justo. O senhor esta sendo muito gentil conosco, muito
obrigada. [pausa] Onde poderemos ficar ?



Dai ele da a volta na grande carroça e mostra a
eles um pequeno espaço entre os barris empilhados na mesma.



- Vocês podem ficar ai, sei
que não é confortável nem nada mas ela não foi feita pra levar pessoas, e sim
mercadoria. Agora, AI DE VOCÊS SE APRONTAREM ALGUMA PRA CIMA DE MIM! E NÃO
QUERO VER UM FURINHO SE QUER NOS MEUS BARRIS !



Nesse momento os dois fingiram ( claro ) que estavam intimidados e assentiram
com movimentos curtos e rápidos com a cabeça. Depois disso o homem voltou para
a frente da carroça onde subiu na mesma e tomou as rédeas ateando seus animais
a puxa-la. Os Jounnins tiveram que se apressar em subir sobre os barris antes
que a carroça ganhasse velocidade e dali ficaram parados por alguns instantes
até que um cochichou para o outro:



-Acho que
já podemos tirar o disfarce, vamos
economizar energia...



Os dois desfizeram o hange que ocultava suas
verdadeiras identidades que agora ainda estavam protegidas por alguns barris
que impediam que o mercador visse os dois simplesmente virando para trás.



[cochichando] –Vai,
pode dormir um pouco... eu fico tomando conta até você acordar. Depois
trocamos.



Assim foi feito, em pouco tempo a Kunoichi já
estava dormindo e Luks passou algumas horas ali parado sem fazer nada apenas se
certificando de evitar incidentes. A viagem dai pra frente foi bem
padronizada... de tempos em tempos eles paravam para comer, claro que os dois
sempre re-faziam o hange quando entravam em contato com o mercador e os turnos
de descanso eram sempre alternados, fazendo assim com que nenhum dos dois
ficasse mais cansado. ( não era um mar de rosas ficar dormindo sobre barris é
claro, mas ainda assim conseguiam descansar
o quanto precisavam.)



Depois de alguns dias de viagem eles finalmente
chegaram até seu ponto final. O mercador estava parando numa cidade chamada de
“cidade do campo” apelidada assim provavelmente pelas GRANDES planícies gramadas
que a cercavam. Eles pagam 50 Ryous cada pra ele e depois se afastam um pouco.



- Aff,
essa coisa aberta... sem árvores... Me sinto tão desprotegido sabe ?



- Ah sei,
sei... pra nós que estamos acostumados a viver cercados pelas árvores isso aqui
realmente é estranho. Já já nos acostumamos.



- Ah, mas
vamos sair desse país o mais rápido possível. Isso aqui deve estar entupido de
Shinobis da chuva, por ser o país vizinho... Sem falar que ainda temos que nos
preocupar com os próprios ninjas daqui.



Aquela cidade era construída em sua maioria com
edificações pequenas e médias de pedra e as ruas de lá estavam com bastante
movimento, aparentemente aquele era o centro comercial da vila e por isso sua
chegada nem foi muito chamativa, éramos apenas mais uma carroça de mercadores
chegando.



-Ôô,
droga... Temos que sair daqui. Temos que evitar sermos vistos o máximo
possível.



-Éh, vem
comigo... Vamos sair de perto dessa bagunça. Vamos evitar acidentes, embora
possamos nos misturar com a multidão, ainda podem existir ninjas que nos
reconheçam por baixo dos nossos disfarces ou saiba que estamos disfarçados.



Luks apenas consente com a cabeça e a partir dali
os dois começam a se movimentar tomando a maior distancia possível da grande
massa de pessoas. Agora que estavam em território inimigo, ambos ficavam muito
nervosos e apreensivos; a única coisa que tinham em mente o tempo todo era não
chamar atenção e serem rápidos.



Infelizmente, naquela cidade eles não conseguiram
achar nenhum modo de locomoção como fizeram anteriormente. Depois de arrumar
algo para comer ( - 60 Ryous ) tiveram realmente que ir a pé. Ao sair da cidade eles desfizeram seus disfarces
e Luks decidiu mandar um pequeno grupo de kikas para prevenir os dois do que
estava por vir; a ideia é simples... enquanto um grupo de insetos vai voando na
frente, os dois vão correndo atrás sem a grande chance de serem surpreendidos
com alguém vindo na direção oposta.



“ Com a distancia que eles estarão de nós, com certeza
conseguiremos nos disfarçar ou esconder caso seja preciso, já que teremos tempo
até seja quem for ter um bom contato visual conosco.”



Nisso os dois partem correndo a toda velocidade em
direção ao país da terra, parando para descansar sempre que necessário. Para a sorte deles durante o caminho
encontraram vários rios e florestas que mostravam o quanto o país tinha belezas
naturais; claro que não tinham florestas tão densas como as que cercavam a vila
oculta da folha, mas ainda assim eram vastas e cheias de vida ( animais e etc. )



Não se passou muito mais que um dia e a dupla da
ANBU já conseguia ver os grandes e numerosos penhascos e montanhas do país da
terra. Aquela vastidão dava a impressão de que aquele não era o melhor lugar
para seres humanos viverem... Digamos assim: Não se pode, ou não convém fazer
casas numa montanha ( por causa dos altos declives ) sem falar em como as
moradas na base de montanhas deviam servir como passagem de água. ( e isso era
um fato pois de onde estavam já conseguiam ver um grande rio passando por
dentre as montanhas indo em direção ao país da cachoeira.)



-Eh,
finalmente chegamos -
dizia a ANBU que usava uma mascara de dragão. ( todas as mascaras da
ANBU de Konoha são feitas correspondendo a um dos animais do horoscopo chinês.)



-Chegamos,
mas só ao país da terra. Agora temos que ir até a cidade... Nortoko é o nome.



Observando o por do sol, Aburame tem uma ideia e
diz:



-Vamos
descansar um pouco. Eu tenho um plano para chegarmos até a cidade mais rápido,
só que teremos que esperar o sol se por.



-Ah,
Luks... não gosto de surpresas. O que você tem em mente ?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Aburame Rukisu [ADM]
ANBU
ANBU
avatar


Ficha do personagem
Honra Honra: 210

MensagemAssunto: Re: Missão Rank A [ANBU] - Aburame Luks - Senhor da Guerra   Qui Jul 08, 2010 3:14 pm

Segundo Ato.





Enquanto
os dois preparavam acampamento, e arrumavam alguma coisa para comer nas
redondezas o Aburame explicou seu plano resumidamente.


- Bem, esta não é a primeira
missão que faço com você e por isso me lembro bem da vez em que usou sua
técnica do Dragão de cristal... Shouton – Hasshoukoryuu é o nome, certo? Pois
então... a ideia é usarmos ele como meio de transporte para ir voando até a
cidade e assim economizarmos o máximo de tempo possível.


Interrompendo Luks ela diz:


-Mas se fizermos isso poderemos ser facilmente avistados, o
que seria uma burrice sem tamanho.


- Claro, eu sei disso... mas me deixe terminar. Se sairmos
a noite, tenho uma ideia que pode ser
útil. Que tal cobrirmos pelo menos a parte de baixo do dragão usando
meus insetos? Se tudo der certo, além de voarmos direto para nosso objetivo
ainda estaremos “invisíveis “ !


- Humm... isso é, você tem razão. Ainda mais se fizermos
isso no fim da noite... não vamos precisar de nos hospedar na cidade e em
poucas horas poderemos encontrar nossos contatos e começar a investigação.


Tendo combinado o plano os dois
comeram algumas frutas não muito saborosas que encontraram na região, além de
terem usado alguns montes de folhas caídas para improvisar uma espécie de
cochão. Eles dormiram por algumas horas inconsequentemente despreocupados e
acordaram quando já estava bastante escuro. Olhando para o céu e julgando pela
posição da lua e das estrelas chegaram a conclusão de que faltava cerca de duas
horas ainda até que o sol nascesse. Eles desfizeram “acampamento”, apagando da
melhor forma possível todos os rastros que indicassem que passaram por ali e
por fim repassaram o plano.





De cima de uma arvore a ANBU
majestosamente saltou enquanto unia as mãos para execução de selos e antes que
seus pés tocassem no chão, um grande dragão de cristal havia se formado e ela
estava de pé sobre sua cabeça purpura.


Ok, ok... ela é legal. =X


-Pode subir.


Sem mais demora, Luks correu na
direçado da árvore da qual ela tinha saltado e dando os primeiros passos sobre
seu tronco, deu um impulso e pousou sob as costas do dragão, consideravelmente
próximo dela. Agachado e com as mais sobre o cristal ele deu a ordem para que
seus “insetos destrutivos” saíssem de seu corpo e fossem cobrindo a parte de baixo do dragão para assim “camufla-lo” na
noite. ( Por que ele não cobriu o dragão
inteiro? Simples, porque não cabe tanto inseto assim dentro do corpo de um só
cara ! ) Tendo concluído sua parte ele agora simplesmente se sentava no dragão
segurando com as mãos em pontas que sobressaiam aleatoriamente. Com um comando
imperseptivel da Jounnin Akira, o Dragão levantou vôo indo em direção à grande
cadeia de montanhas e penhascos do país da terra.


O vôo foi tranquilo e eles
passaram por cima de varias vilas e pequenas cidades até que ao longe avistaram
as luzes da grande cidade para a qual viajavam a vários dias.


-Até que em fim...


-Não sei se fico aliviada ou nervosa com isso. Lembre que
se tudo o que nos foi passado sobre Goksue for verdade, nosso trabalho não será
tão fácil.


- Hum, um sinal disso é que dois Oinnin já precisaram pedir
ajuda, que somos nós. Acho que não vai adiantar de nada chegar lá com “medo”.
Eles precisam é de alguém que ajude a terminar o serviço, e você sabe que é
exatamente isso que nós vamos fazer. Acabar com isso.


Aparentemente as palavras dele
acabaram animando-a de alguma forma. Eles continuaram voando até pousar de um
dos lados da cidade que parecia ser um uma grande colmeia ( isso pelo fato
emitir uma imagem escura e indefinida esperando a chegada dos primeiros raios
de sol e ainda assim fazendo barulho, como o zumbido que sai de uma colmeia.


-Eh, cidades grandes realmente são diferentes... parecem
que nunca dormem neh?


-Pena que provavelmente não poderemos aproveitar as coisas
boas dai. Temos que achar realmente o que há de podre ai dentro... e imaginar
que saiu de Konoha . Tsc...


Assim que saltaram no chão, ela
desfez seu Jutsu fazendo com que em instantes todo aquele dragão se tornasse
apenas uma grande poeira brilhante de cor púrpura se espalhando pelo ár até
sumir. Enquanto isso os Kikais de Luks voavam em forma de nuvem para dentro de seu corpo. Depois disso os
dois invadiram a cidade discretamente e vagaram pelas ruas frias e secas
furtivamente até se aproximarem da uma área mais barulhenta da cidade, o que
parecia ser o centro comercial. Lá algumas lojas estavam abertas ( como por
exemplo bares que tinham os clássicos pinguços caindo para os lados, e também
lojas que vendiam peixe fresco ( assim como as feiras daqui do brasil) e coisas do tipo.) e de pouco em pouco tempo,
assim como chegavam os raios de sol, as pessoas iam surgindo para o começo de
um novo dia. A dupla tentou ficar o máximo de tempo possível afastada de tudo
isso esperando as horas passarem para que assim pudessem tentar encontrar seus
aliados. Quando finalmente decidiram sair de seus “ esconderijos ” ( caso não
esteja obvio, eu estou falando de ruas mais isoladas e becos desertos. ) ambos
usaram Hange no Jutsu para se disfarçarem e partiram em direção ao centro
comercial. Durante o período de espera eles tinham combinado que enquanto Luks
procurava pelo Mednin, ela procuraria pela Kunoichi especialista em taijutsu.


-Kari, caso não consigamos encontra-los nos vemos aqui dentro de três horas, ok ?


Depois de assentir os dois se
separaram tomando caminhos diferentes.


[Camera na Kari]


A aparência que ela tinha tomado
agora era a mesma já vista anteriormente na primeira vez que eles pararam em um
ponto de apoio e conseguiram a carona com os barris. Ela caminhava calmamente
pela cidade até que encontrou um restaurante que estava aberto. Lá dentro
avistou cerca de 3 garçons e 1 garçonete. Ela logo entrou no estabelecimento e
não acidentalmente se sentou numa mesa próxima da garçonete. Em alguns
instantes ela se aproxima de Kari e diz:


- Olá, bom dia ! Gostaria de ver nossos cardápios? Aqui
esta o de frios e aqui o de quentes...


-Hum, frios e quentes ? Achou que vou querer algo quente,
estou com a vontade de fogo hoje... – disse
Kari num tom alegre, quase maluco.


Por um instante a garçonete
parou e ficou olhando para ela, que foi encarada por Karin como se nada
estivesse acontecendo.


“Pronto, agora ela acha que eu sou louca...”


-Venha comigo... Disse a mulher que, firmemente segurou Kari pelo braço e
a puxou dizendo para os outros garçons do restaurante:


-Esta mulher esta passando mal... vou acompanha-la até o
banheiro, volto assim que possível.


Nisso as duas vão para o
banheiro do restaurante, onde assim que entram a garçonete bloqueia a porta,
evitando que mais alguém entre.


-Nossa, achei que vocês não fossem chegar NUNCA ! Você
devia estar sozinha? Cade a outra pessoa?


-Não, não estou sozinha... meu parceiro esta procurando
pelo outro contato que nos espera aqui. Você sabe onde ele está?


-Ah, o Kogu? Ele já deve ter começado a ronda dele... deve
estar perambulando ai pela cidade. Agora temos que sair daqui, vamos pra um
lugar reservado pra eu poder te passar as informações.


Tendo dito isso, elas saíram do
banheiro pela janela lateral e dali partiram correndo para um pequeno edifício
onde entraram num apartamento bem apertado.


[Muda câmera para o Luks]


Como já era de se esperar, assim
como Kari, o Aburame também estava re-aproveitando o disfarce usado
anteriormente quando arrumaram carona com o mercador dar bebidas. Ele andava
pelas ruas movimentadas da cidade com ar de perdido, trançando pra la e pra ca.
Sempre que avistava um guarda ele chegava perto dele com a seguinte frase:


-Ah, perdi minha filha faz muito tempo... não consigo
encontra-la !


Na maioria das vezes ele recebia
respostas que falavam para ele prestar queixa do desaparecimento na delegacia,
ou falavam que sentia muito e que esperava que ele a encontrasse logo... e
alguns até ofereciam ajuda, mas Luks sempre buscava se afastar deles assim que
respondiam esse tipo de coisa. ( claro que ele tentava falar algo que não
fizesse os guardas ficarem desconfiados, como dizer que iria para a delegacia,
ou ia comer alguma coisa antes de mais nada.) O fato é que depois de várias
tentativas andando pela cidade um dos guardas virou pra ele e disse:


-E porque ainda não desistiu?


Um instante de silêncio e Luks
responde:


-Porque eu tenho a determinação do fogo.


O guarda deu umas olhadas pro
lado rapidamente e depois se voltou para o Aburame disfarçado fazendo um sinal
com a mão para que o seguisse. Luks sem hesitar seguiu o homem até que
chegassem a um pequeno edifício onde entraram num apartamento bem apertado.


Lá dentro estavam Kari e a outra
mulher. Nesse momento a Akira não usava mais seu hange, mas ainda vestia as
roupas da ANBU. ( ela esta com a capona por cima.) Tendo visto isso, Luks
decide desfazer seu disfarce também... julgando que já tinham encontrado seus
aliados. Tendo sido feitas as apresentações os dois explicaram tudo o que
estava acontecendo nos últimos tempos... o fato de como Goksue estava
conseguindo distribuir armas para vilas ocultas rivais e como eles não
conseguiam encontrar seu rastro. Sabiam que as coisas estava sendo encomendadas
dali, daquela cidade... mas não sabiam exatamente de onde. O fato que indicava
que Goksue possivelmente estava lá era o grande movimento de ninjas forasteiros
que passava pela cidade, segundo os espiões ( os dois) eles provavelmente
faziam parte da guarda pessoal do Ninja de Konoha.


A ninja especialista em
Taijutsus, era magra ( não tinha um corpão) tinha cabelos longos e ruivos.
Estava usando avental do restaurante e pequenas luvas de pano nas mãos. Seu
nome era Tina.


O Mednin era alto
consideravelmente forte, usava uma farda da policia local e tinha cabelos
curtos de cor castanho claro. Seu nome era Hisako.


Depois de muito tempo
conversando eles agora que tinham ajuda resolveram ampliar sua área de busca,
ficando mais esperançosos pela chegada do novo rastreador. A ideia do dia era que eles formassem uma espécie
de quadrado, ficando cada um num canto da cidade e assim buscando por uma área
maior. Claro que Tina e Hisako não podiam simplesmente abandonar seus disfarces
e sair procurando, mas Luks e Kari se disfarçaram e saíram pela cidade a
procura de pistas. Vez e meia Luks liberava alguns kikais que saiam
discretamente de suas roupas e perambulavam pela cidade. Depois de algum tempo andando
o Aburame percebeu um grupo de ninjas que conversavam alto no espaço entre duas
lojas... eles não pareciam ter a menor preocupação em se esconder. Luks sabia
que eram ninjas por causa das armas que usavam. Um deles tinha uma Shuriken Gigante
nas gostas e várias bolsas de armas eram facilmente visíveis. Discretamente ele
se aproximou do grupo, mas não para aborda-los... só queria ouvir o que estavam
falando. O papo era sobre um deles que tinha acabado de receber e estava todo
feliz combinando onde iria para ter bebida e mulheres... Um dos outros ninjas já
não estava tao feliz quanto o primeiro, ele reclamava que ainda teria que ir
buscar a recompensa de sua ultima missão ou algo do tipo. O fato que mais
chamou atenção de Luks era o de que eles não estavam usando bandanas, e
obviamente não estavam em suas vilas de origem.


“Ah, são esses... com certeza esses
caras trabalham pra Goksue. Agora tenho que arrumar um modo de fazer eles me
levarem ate o esconderijo...”


Enquanto ficava seguindo os
ninjas pela cidade, Luks havia mandado um pequeno número de kikais voar até
Kari, avisando-a por meio de Kanjis. Algum tempo depois, de cima de uma casa,
Luks já sem seu disfarce percebe a aproximação de pessoas ( foi avisado pelos
seus insetos). Eram seus três aliados. O Aburame por baixo da mascara branca de
um pássaro ( ver meu avatar xD) dizia:


Já estou seguindo estes três a bastante tempo, acho que logo logo vão
nos levar até onde queremos.


Eles continuam a segui-los até
que estranhamente os três entram numa grande Biblioteca da cidade.


“ Biblioteca? Hã? Esses três não
parecem ser do tipo cultos... Alguma coisa tem...”


Seus parceiros evidentemente
tiveram a mesma impressão que Luks e foi depois de poucos minutos que ao sair
da biblioteca Luks notou que seus coletes ( estilo os que são entregues aos
chuunins) tinham os suportes da frente preenchidos.


Foi ai que uma “FICHA ENORME
DESPENCOU”

ARMAS + PERGAMINHOS
+ NINJAS RENEGADOS\EXILADOS = CONTRABANDO DE ARMAS


[fim do segundo ato. Obs: a missão dos dois já foi cumprida.
Nosso objetivo não era capturar Goksue nem matar ninguém. Eu não preciso falar
que vou continuar escrevendo neh? Só que agora não vou estar preso a um limite
de palavras ou tempo; acho que vai sair coisa bem melhor e mais interessante
devido a isso.]
Voltar ao Topo Ir em baixo
Aburame Rukisu [ADM]
ANBU
ANBU
avatar


Ficha do personagem
Honra Honra: 210

MensagemAssunto: Re: Missão Rank A [ANBU] - Aburame Luks - Senhor da Guerra   Qui Jul 29, 2010 10:53 pm






Continuação...



Depois de todos descobrirem o
que tanto queriam, agora estavam presos em outro problema: O que fazer a
respeito? Entrar lá e quebrar o pau? Não... essa foi uma das primeiras ideias a
serem descartadas. Destruir a biblioteca? Não... isso chama muita atenção e não
impede definitivamente o contrabando de armas.



Eles tinham que pegar Goksue,
mas como? Antes teriam que descobrir exatamente onde ele estava. Para isso
teriam que saber mais sobre aquela biblioteca e sobre como funcionavam as coisas
lá dentro. Na noite da descoberta o grupo ficou até tarde discutindo no pequeno
apartamento que tinham como base.



Na manhã seguinte o grupo saiu
para se alimentarem e se prepararem para colocar os planos em pratica. Por
volta do meio dia, quando provavelmente os “funcionários” da biblioteca fariam
uma troca de turno para o almoço foi a hora escolhida por eles para entrar em
ação. Assim que viram algumas pessoas saindo de dentro da biblioteca, Kari a
parceira de Luks se dirigiu para dentro da biblioteca... Ela faria o
reconhecimento. Entrando lá o que ela via era uma grande edificação em madeira
e metais que logo na entrada tinha um corredor formado por dois grandes
balcões. No da direita estava um homem velho que usava óculos e estava
cabisbaixo lendo um livro. Por detrás dele podia ser vista um grande salão com
várias estantes paralelas umas às outras, todas elas cheias de livros e
pergaminhos. O senhor levantou a cabeça olhando para ela e perguntou se podia
ajuda-la. Naturalmente ela respondeu que estava procurando por informações a
respeito de uma cidade qualquer da região ( que ela escolheu na hora.). O
senhor indicou uma direção e ela a seguiu depois de agradecer. Ela ficou
pensando se aquele homem estaria ou não envolvido diretamente com Goksue, se estava
disfarçado ou se era realmente um bibliotecário que não fazia idéia do que
podia estar acontecendo ali. Instantes
depois lá estava ela de frente para uma estante de livros e pergaminhos, onde
não podia ser vista e dai resolveu começar seu trabalho; usou
Bunshin no jutsu criando um clone de si mesma que ficaria ali como
distração enquanto ela andava pelo resto do estabelecimento. Antes de se
afastar ela tirou dois livros da estante e colocou-os empilhados no chão e
depois pegou um pergaminho e esticou-o logo ao lado. Assim que ela saiu de
perto o bunshin se abaixou ali como se estivesse lendo o pergaminho. Ela
tentava andar o mais furtivamente possível pelos corredores analizando todo o
estabelecimento que estava praticamente vazio ( só estavam lá, ela e o senhor (
aparentemente)). Ao rodar por todo o salão viu que em algumas paredes existiam
portas e que todas estavam fechadas; ela não arriscou tentar abrir pois poderia
haver alguém do lado de dentro e se fosse vista assim, os planos iriam por água
a baixo. Tendo descoberto tudo o que poderia ela discretamente plantou um de
seus jutus numa das estantes centrais do salão. ( não tenho o nome da técnica
em mãos agora, mas se trata daquele pequeno cristal que ela usa como uma “câmera de segurança”.)
Furtivamente ela volta para onde o clone a esperava disfarçando e toma o lugar
dele ( desfazendo o mesmo) e começa a guardar as coisas que estava usando;
depois de se dirigir para a saída da biblioteca, ela se despede educadamente do
senhor e vai de encontro aos seus parceiros, tomando cuidado para não ser
seguida.



Chegando lá ela passa as
informações que tinha para os outros e conclui sua primeira parte, passando a
vez agora para Luks.



-Portas é? Então agora terei que tentar descobrir o que temos por
trás disso... tomara que encontremos logo Goksue, embora ache que não vá ser
tão fácil.



Dai Luks vai na direção da
Biblioteca tomando cuidado para não ser visto ( andando pelos telhados ) e se
posiciona na lateral da edificação, onde abaixado começa a liberar kikais de
dentro de seu corpo. Os mesmos voam entrando na biblioteca pela janela e
começam a fazer seu trabalho. As ordem de Luks eram para que eles buscassem por
essas portas e passassem informações frenquentes sobre o que estavam
conseguindo localizar... ele queria saber principalmente sobre pessoas, ou
seja, chakras... nas primeiras portas que entraram só encontraram mais estantes
e pergaminhos, mas em uma delas aparentemente haviam duas pessoas. A circulação
de chakra delas estava calma, o que indicava que não estavam realizando jutsu
algum; o que fez Luks pensar se eram ninjas ou não. Quase no fim da varredura
Luks foi surpreendido quando um grupo de Kikais entrou no chão da biblioteca,
desde o inicio eles acusavam estar sentindo algo ali, mas o Aburame preferiu se
focar nas portas primeiro. Agora que estavam adentrando naquele lugar estranho
que Luks não sabia bem como era detectavam vários chakras... Eram, 2, 3...5
chakras diferentes ! Seus níveis
variavam o que indicava que as pessoas ali tinham potenciais diferentes e
algumas delas já haviam gastado parte de sua energia. Tudo corria bem até que
Luks recebeu a informação de uma movimentação estranha e...........



Continua.

Voltar ao Topo Ir em baixo
Aburame Rukisu [ADM]
ANBU
ANBU
avatar


Ficha do personagem
Honra Honra: 210

MensagemAssunto: Re: Missão Rank A [ANBU] - Aburame Luks - Senhor da Guerra   Seg Dez 20, 2010 10:57 pm


... por algum motivo ele tinha perdido contato com alguns de seus kikais. Eles pareciam meio confusos, enviavam mensagens sem sentido a todo momento. O Aburame ficou assustado, demonstrando isso sem querer ao seus colegas de equipe que logo perguntaram o que havia acontecido.

- Eu... Eu n.. não sei...

Ele se virou na direção dos outros e disse:

-Alguma coisa aconteceu, estou chamando eles de volta agora mesmo. Fiquem preparados.

Agora ele chamava seus insetos de volta, mas claro que não diretamente. Eles saiam espalhados e discretamente para não chamar atenção. ( quando digo espalhados, digo realmente espalhados, tipo, janelas diferentes e tudo mais.)


-Eles ainda vão demorar um pouco, estou tentando despistar se alguém estiver seguindo o rastro deles.


Minutos depois começam a chegar os primeiros kikais que iam em direção às mãos de Luks que os examinava buscando saber o que havia acontecido. Agora a maioria deles já estava normal.


"Que droga é essa ? por que eles ficaram daquele jeito ?"

Logo todos os kikais que o Aburame conseguia manter contato voltaram "para casa".


-Akira, acho que podem ter nos detectado de alguma forma. Não posso garantir nada, mas alguma coisa estranha que
não consigo ainda entender o que deixou-os confusos... não sei...


Ela responde com um pouco de preocupação:


-O que implantei não nos ajudou ainda. Não consigo ver nada.

E agora? O que vamos fazer? - Perguntou a outra mulher enquanto a Akira observava a pequena placa de cristal em suas mãos.

O mednin responde com a voz firme; ele estava bem sério.


-Devemos interceptar logo. Antes que se movam, preparem uma defesa.


-Acha que estão se preparando agora?
- perguntou a kunoichi Akira.

-Sim... se viram os insetos dele, já devem estar se preparando.

-Mas e se não viram?

- Vamos ficar na dúvida e ver o que acontece?

Silêncio pairou no ar... todos estavam apreensivos mas alguns deles pensavam na mesma coisa. Tinham um plano.



#Frente da Biblioteca#

Uma mulher surge virando a esquina e vem andando até quando chega frente à porta da edificação. Ela para do outro lado da rua frente a o grande paredão de um tipo de armazém, ele estava fechado naquele dia. Ela era Tina.

Perto dali dois vultos entram por uma janela que agora estava mais aberta do que deveria.

Por fim outra mulher se aproxima ela acabava de pousar silenciosamente sobre o telhado da biblioteca. Vários selos são executados e brilhos estranhos começam a ofuscar as janelas e portas da edificação. Estranhamente em instantes todas as entradas estavam bloqueadas por cristal. Kari tinha feito sua parte, ela garantiria que nada saísse ou entrasse ali.



#Dentro da Biblioteca#


Silenciosamente parados na parede estavam Luks e o Mednin. Eles trocaram sinais e em um shunshin o mednin parou frente às costas do senhor que estava levantando a cabeça para ver o que era o barulho que havia ouvido, tanto na porta quanto nas janelas. Não deu tempo, antes que pudesse perceber já havia sido nocaunteado pelo ninja de Konoha que havia lhe aplicado um golpe rápido e certeiro no pescoço.

Luks andava até o chão e ia caminhando procurando aquela abertura no chão por onde seus insetos haviam entrado.

Ainda pensava no que poderia ter acontecido e por isso ainda tinha receio em liberar seus insetos e com eles executar o trabalho da melhor maneira que conseguia. Ali. Achou uma parte do assoalho que aos olhos destreinados passaria como os outros, mas não, ele tinha algo diferente. Fez sinal para seu parceiro que se aproximou e se abaixou a seu lado. Luks tirou de sua bolsa de armas uma granada de fumaça e se preparou. Com um sinal o outro levantou aquilo que podemos chamar de chão-tampa e Luks rapidamente jogou a granada lá dentro, sendo que a tampa foi colocada no lugar logo em seguida. Em absoluto silêncio os dois saltaram para trás e se prepararam para a esperada luta que estava por vir.



Como diabos fugindo da cruz 3 homens saltaram de dentro daquele buraco sem saber ao certo o que acabava de acontecer; logo viram os dois. Sem pensar duas vezes partiram para cima deles atacando com o que tinham. Um deles portava uma Katana outro tinha uma corrente enrolada ao corpo e o terceiro se preparava para dar um soco, com certeza aquilo não era um soco comum e os ninjas experientes sabiam disso.

Para desviar dos ataques os ninjas de Konoha saltaram para cima de estantes de livros ( um pra cada lado). Aquele lugar estava cheio delas, organizadas como as estantes de um super-mercado. Dali o Mednin foi saltou o mais longe que pôde indo em direção à fumaça que saía de dentro do buraco. Luks decidiu se misturar entre as estantes de livro, queriam dividir os ninjas. Deu certo, enquanto dois foram atrás de Luks o outro foi em direção a seu parceiro.

Luks correu desenfreadamente pelos corredores, fazendo várias curvas. Seu objetivo era baixar a guarda deles. Quando percebeu que seus inimigos resolveram se separar para pega-lo um de cada lado ( cercar ele) o Aburame vira na primeira abertura que encontrou já executando os selos do Boi, Coelho e Macaco. Se apoiando em um só pé ele girou dando de cara com seu perseguidor que acabava de fazer a curva. Chidori. Com um só golpe ele foi transpassado na altura do coração e caiu largando as correntes que tinha em mãos. Luks não parou de andar, voltou para o corredor de onde tinha vindo prevendo e torcendo para que o outro ninja fosse ver o que aconteceu com seu parceiro. Escolhendo uma distancia que julgou adequada ele saltou por cima da estante sacando uma Kunai e já olhando para baixo. Lá estava ele quase onde havia imaginado. Não seria possível cair sobre ele cravando a pequena lâmina mas daria para acertar facilmente suas costas arremessando a kunai. Foi o que ele fez, e ao cair de pé no chão o ninja que acabara de ser acertado se virou levando a mão ao cabo da kunai na tentativa de se defender, ele estava desarmado e fora surpreendido, não teria como escapar do próximo ataque. O mesmo flexionar de joelhos que Luks usou para amortecer a queda foi o impulso para partir para cima do ninja usando um Gouken Ryuu. Seu alvo foi arremessado a cerca de dois metros de distância caindo morto com o pescoço e maxilar quebrados; Luks foi até ele para recuperar sua kunai limpando a lâmina nas roupas do homem morto.

Hisako deu uma olhada rápida para trás checando a posição de seu perseguidor e saltou para dentro da fumaça que escapava do buraco ( parou logo adiante do mesmo). Habilmente o ninja inimigo deu um grande salto passando por cima da fumaça e avistando seu alvo que segurava uma Kunai em cada mão se preparou para deferir um ataque de cima para baixo. Hisako tentou se defender com a pequena lâmina mas tanto ela quando ele foram partidos ao meio pela poderosa katana. Algo estranho; o mednin e suas armas se desfizeram em fumaça sumindo em meio ao fim da pequena "nevoa". No mesmo instante que se recompunha da surpresa o ninja sentiu uma mão gelada tocar sua garganta por trás. Era Hisako que ao passar pela fumaça havia criado um clone de fumaça e se escondido ao lado de uma das estantes que os cercavam. Agora ele segurava o pescoço do homem emanando uma luz fatal de seu corpo. Ele acabava de matar seu inimigo cortando-o por dentro com Shousen no Jutsu, deixando o corpo cair ao chão logo em seguida.

Como previam, quando estavam por terminar com seus combatentes as portas laterais do grande salão se abriram... era óbvio que haveria reforços. Alguns homens e mulheres saíram de lá armados e mal encarados. Não sabiam ainda o que estava acontecendo com clareza mas já se prepararam para acabar com os problemas. Mal sabiam eles o tamanho dos dois problemas que estavam encontrando. Luks e Hisako agora estavam de pé sobre as estantes quando o primeiro falava:


-Vá, eu ganho tempo.

O médico com um Shunshin entrou pelo buraco, eles tinham esperança de que Goksue estaria ali. Enquanto isso, do lado de fora Luks unia as mãos e executava o a técnica Ninpou - Kirigakure no Jutsu ( jutsu da névoa oculta). Enquanto a visão do lugar fechado ficava mais precária a cada segundo os ninjas inimigos resolvem atacar o Aburame; era tarde de mais, ele não estava mais ali. Com um Shunshin Luks fora para o teto do alto salão e de lá mantinha seu jutsu em potência máxima enquanto liberava seus poderosos insetos para massacrar os cegos inimigos no solo. Eles nem ao menos sabiam o que estava acontecendo quando começaram a ser atacados um a um pelos kikais de Luks que vinham de todas as direções. Também pudera, mal conseguiam enxergar um palmo a sua frente. Tudo corria bem quando os planos do Aburame foram quebrados. Algum dos ninjas era usuário de Fuuton e um grande vendaval fez com que névoa fosse dissipada para os cantos do salão. A névoa ainda estava lá, porem fora concentrada em maior parte nas extremidades o que já tornava possível enxergar. Quando fora avistado lá em cima mal teve tempo de se esquivar das várias kunais e shurikens que vinham em seu encalço, cravando no teto de madeira um instante após cada movimento dele. Sem opção Luks teve que buscar cobertura no solo dentre as estantes. A situação não estava tão boa mas a vantagem ainda era dele. Com ordens simples o Aburame fez com que seus insetos abandonassem os corpos derrotados e se escondessem entre os livros e pergaminhos das estantes. Agora poderia saber a posição de seus inimigos e o contrario não estava acontecendo, pensava ele.

Agora ele partia para tentar elimina-los 1 por vez; andava o mais furtivamente possível entre as estantes monitorando a movimentação tanto dos ninjas quanto a de seus insetos. Quando notava a aproximação de um deles movimentava todos os kikais da área e liberava mais alguns quando era preciso para eliminar os alvos com a técnica secreta Mushidama. Seu corpo já estava praticamente sem nenhum inseto, todos estavam espalhados pela sala. Não levou muito tempo para que ele derotasse todos seus inimigos ali, claro... para se esconder teve de usar de tecnicas como hange no jutsu algumas vezes ou chamar a atenção para outro lugar usando a Utsusemi no Jutsu (Técnica da Projeção de Vozes).



Assim que acabou chamou seus parceiros de volta saltou para dentro do buraco descendo uma pequena escada de madeira. O que via ali agora ela uma pequena sala redonda e escura que mais parecia uma caverna, com suas paredes de cor cinza e porosas. Três caixas de madeira estavam encostadas logo ao lado da escadinha. tinham pouco mais de 1m³ cada uma; mais a frente encontrou uma mesa com 4 cadeiras, sobre ela viu cartas, ervas e papel.

"Os desgraçados deviam estar se drogando" - pensou Luks.

Finalmente viu ali no fundo do buraco apertado uma porta de madeira mal feita ( tábuas na vertical unidas por duas na horizontal.), ficou feliz por isso pois não estava gostando daquele lugar, talvez fosse culpa da reação de seus insetos que ficavam eufóricos e desorientados ali dentro, só queria sair dali o mais rápido possível. Andou vagarosamente e abriu a porta torcendo para não estar indo de encontro a mais inimigos. Onde estaria Hisako ? Ele estava para descobrir.

O que ele via agora era um homem segurando Hisako no ar com uma das mãos; quando ele entrou na sala o homem tirou da barriga de Hisako uma lâmina. Não era uma kunai, ela era mais fina e longa, parecia sair de dentro de sua manga.

Goksue:
-Mais um ??

Ele soltou Hisako deixando-o cair ao chão.

Hisako: - Não.... deixcofcof.... escaparghh

O ninja médico estava mal; Luks não sabia o que tinha acontecido ali mas aparentemente seu parceiro havia sito derrotado, mas por sorte talvez sua mascara ainda não havia sido removida. Seu colete ficava cada vez mais vermelho; agora ele colocava as mãos sobre o ferimento tentando parar o sangramento mas poderia desmaiar a qualquer momento.

-Você não vai sair daqui. Desista antes que seja tarde.


-Eu não vou ? kkkk nem você ! Desistir do que ? Poupe meu tempo e morra de uma vez.


Ele lançou a kunai suja com o sangue de Hisako em direção a Luks, que por sua vez rebateu-a usando a mesma kunai que outrora usou para derrotar outro inimigo. Era uma distração. Quando Luks percebeu já estava tomando um chute forte na barriga que o fez atravessar a fraca porta de madeira atrás dele. Se recompondo Luks tentou se levantar mas ao olhar para frente viu que Goksue já estava partindo para outro ataque; para escapar executou o mais rápido que pôde o jutsu
Fuuton - Hanachiri Mai (Libertação de Vento - Dança das folhas em Queda) conseguindo parar o inimigo que estava a um segundo de acerta-lo. Goksue para se defender do ataque cruzou os braços a sua frente e foi arrastado de volta a outra sala.

O Aburame se levantou rapidamente e agora criou um bunshin para ganhar tempo, aproveitando que Goksue não podia velo ( levando em conta que estava acabando de tomar aquele turbilhão de ar.) O Bunshin entrou na sala.

-Hahaha, espera me derrotar com isso? Fala sério essa técnica é para iniciantes !!!!

O clone nada respondeu, estava ganhando tempo.

- Tudo bem, vamos brincar !


Agora ele dava um passo para trás e puchava de dentro de uma caixa de madeira ( a sala estava cheia delas) um pergaminho pequeno e em impressionante velocidade invocou um par de Katars, guardando a lâmina que tinha na manga com um simples movimento do pulso ( caso ainda não tenha dado pra sacar, é uma daquelas estilo "assassin's creed") . Aparentemente ele pretendia fazer um jogo de corpo-a-corpo. Partiu para cima enquanto o clone tentava se desviar da rápida série de ataques. Quando finalmente conseguiu derrotar o clone, o que não demorou mais do que poucos instantes Luks saltou para dentro da sala segurando uma Kunai em cada mão, era hora de lutar de verdade. Goksue nada surpreso partiu para cima de Luks que com a kunai esquerda tentava desviar os golpes que não fosse possível desviar devido ao pouco espaço e sempre que via uma abertura tentava golpea-lo com a outra mão. Precisa acertar ! Numa dessas investidas foi acertado por um chute de seu inimigo que o jogou contra a parede quando se preparava para atacar novamente veio o susto uma faisca eléctrica na base da lâmina de Goksue e a mesma veio voando como uma flecha em sua direção. Para desviar daquilo o ANBU precisou de toda sua velocidade e ainda assim se não fosse por sua mascara teria ganho um arranhão no rosto.

" Que merda é essa ?"


Para assustar ainda mais o ninja de Konoha, com outra faisca a lâmina voltou como se fosse atraída por mágica. Sem perder tempo Goksue voltou a atirar e recuperar suas lâminas em tiros sequências que fizeram Luks "suar a camisa". Infelizmente fora acertado no braço esquerdo enquanto corria tentando desviar dos tiros incessantes. Ele caiu gritando de dor enquanto arremessava na direção de seu inimigo a kunai da mão direita. Ela passou de raspão na perna de
Goksue, mal arrancando mais do que algumas gotas de sangue. O protetor do braço de Luks começou a se manchar de vermelho quando a lâmina saiu voltando de volta para seu dono.


-Isso é ridículo. Konoha já teve ninjas melhores. Se bem que você não é de se jogar fora; é rápido eu admito, mas não o suficiente.


-agh...


-Agora é hora de morrer como seus hokages lhe ensinaram... por sua vila.


-Espera !


-?


-Ainda não...


o.ô


-Não pretendo morrer hoje. Mas você vai ter que me responder umas coisas antes de eu ir.


- Para de falar merda seu imbecil ! Morra de uma vez.
- foi quando Goksue tentou dar um passo em direção a Luks que o movimento de sua perna falho e ele caiu, apoiando-se com as katars no chão para não bater a cabeça.

- O que ? O que está acontecendo??????????
- disse ele assustado.

-Por sorte eu admito, você não vai conseguir me derrotar hoje. A kunai que te acertei, tinha veneno. Pode sentir suas pernas? Acho que não. Em breve mal vai conseguir piscar. Mas antes disso tenho que lhe fazer umas perguntas. Quero
saber para quem você vende essas armas. E quero saber quem te ajuda.

-Aha, eu precisava ouvir isso... acha mesmo que vou te falar alguma coisa ? Não seja ridículo.

-Na verdade acho que seria melhor você me falar. Você sabe que Konoha tem ninjas especializados em tortura e em obtenção de informações não é? Sabe sim... foi da vila da folha que você saiu. Sabe como tratam os traidores não sabe?

-Então acho melhor você falar comigo do que com eles.


Ele se assustou ao constatar o que o ANBU estava dizendo. Não pretendia sofrer nas mãos dos ninjas da folha, não mesmo.

-HAHAHA não pretendo ir com você não!! Eu sei que o jogo pra mim acabou, mas essas montanhas ainda vão te foder desgraçado ! Vocês não sabem com quem tão se metendo!


Goksue sofrendo lentamente com os efeitos do veneno viu que não conseguiria escapa e agora levantava a katar em direção a sua cabeça. Luks percebeu, ele queria se matar!

Usando todo seu potencial restante o ANBU usou um shunshin (sim, eles estavam perto um do outro) em direção a Goksue pisando em sua mão prendendo a katar ao chão e com a perna direita deu um chute forte na cabeça do renegado deixando-o inconsciente. Em seguida caiu sentado no chão exausto, havia gastado muito de suas energias.

-Kuso, isso deu trabalho...


Olho para o lado, viu seu parceiro quase desacordado e foi até ele para dar suporte. Tirou de dentro de sua bolsa de armas um vidrinho de analgésico e o fez ingerir, Depois retirou tudo o que estava por cima da ferida e pegou um pequeno rolo de bandagens enrolando-a nele para tapar o ferimento evitando um pouco o sangramento.


-Calma, já já você fica bom. Vai dar tudo certo.

Fez ele se apoiar em seus ombros e passou o braço que não estava machucado por trás dele, ajudando-o a levantar. Os dois saíram andando dali o mais rápido que podiam sem faze-los sofrer com os ferimentos.Quando chegaram na porta de entrada, viram que os cristais haviam desaparecido e a rua estava " um pouco diferente". Várias rachaduras no chão, um poste metálico com um belo amassado foi o que pode ver logo de cara. Analisando melhor viram Tina com suas luvas metálicas saindo de um beco próximo.

-Onde está Kari?


- Já esta vindo, estávamos escondendo os corpos.


-Então eles realmente tinham reforços vigiando daqui de fora?


-Claro, assim como imaginamos.

-Bom, deu tudo certo pra vocês né? Mas nós precisamos de uma ajudinha aqui.

-Ok, vamos sair daqui.


Instantes depois a Akira chegou e os 4 trataram de sair dali. Assim que começou a se sentir melhor o Mednin usou suas próprias técnicas para se curar e curar o ferimento de Luks também. Como combinado os dois que já estavam infiltrados na cidade continuariam ali e Luks e Kari voltavam para Konoha, que logo mandaria reforços para limpar a bagunça ou seja, apagar seus rastros.

Naquele mesmo dia Tina voltou ao campo de combate e selou todas as caixas de pergaminho que encontrou na biblioteca, para que pudessem ser invocados depois pela outra dupla. Luks e Kari voltaram para Konoha levando Goksue como prisioneiro sem problemas no caminho.

Depois de dias de viagem finalmente os três chegaram de volta a vila.

#FIM#
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Missão Rank A [ANBU] - Aburame Luks - Senhor da Guerra   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Missão Rank A [ANBU] - Aburame Luks - Senhor da Guerra
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Missão Rank A] Estranho Dojo (Exclusivo ANBU)
» Missão RANK D - Hiperactividade
» [Missão Rank D] Redes Estragadas
» [Missão Rank C] Caçar Javalis
» Missão rank D - Olha o Filé!

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Naruto Revo Online :: Vila da Folha :: RPG Zone :: Missões-
Ir para: